Archive for novembro \30\UTC 2009

Mais uma do Macedo. Voce concorda?

novembro 30, 2009

Sobre o Natal
Bispo, está chegando o Natal. Em minha casa, sempre montamos uma árvore. Eu gostaria de saber se existe algum erro em fazer isso e em comemorar o Natal.
Marlon,
Por e-mail

Marlon,
O problema é que o Natal não tem nada a ver com Deus. No exterior dizem ser uma festa cristã, mas é a época em que mais há suicídios. As pessoas, em vez de pensarem no significado da vinda do Senhor Jesus à Terra, só pensam em presentes e farra. Na Bíblia, você não lê nada sobre o Natal, ou seja, como podemos relacioná-lo a Deus se o Próprio nunca falou nisso? Eu acho que se devemos comemorar a vinda do Senhor Jesus, então não precisamos de árvores nem de Papai Noel para isso. Veja como os negócios se beneficiam com o Natal. Até negócios anticristãos.

Laia Sao Lucas capitulo 1 e compara como conselho dele.

Anúncios

Reflexao do dia: História do advento

novembro 30, 2009

TEMPO DO  ADVENTO

Não é fácil precisar a história e o primitivo significado do Advento; além disso,as noticias sobre suas verdadeiras origens são parcas .É necessário distinguir elementos que dizem respeito a práticas ascéticas e a outras, de caráter estritamente litúrgico; um Advento que é preparação para o Natal e um Advento que celebra a vinda gloriosa de Cristo (Advento escatológico). No oriente, permaneceu quase ignorado um período de preparação ao Natal.

Portanto, o Advento é próprio do ocidente. São descartadas totalmente as teorias que atribuem o Advento a são Pedro e sua existência aos tempos de Tertuliano e são Cipriano. O testemunho mais antigo encontra-se em uma passagem de santo Hilário (por volta de 366) que diz: “Sancta Mater Ecclesia Salvatoris adventus annuo recursu per trium septimanarum sacretum spatium sivi indicavit” (CSEL, 65,16) “A santa mãe igreja oferece um espaço sagrado de três semanas por ano para a vinda do Salvador”. O duplo caráter do Advento, que celebra a espera do Salvador na glória e a sua vinda na carne, emerge das leituras bíblicas festivas. O primeiro domingo orienta para parusia final, o segundo e o terceiro chamam a atenção para a vinda cotidiana do Senhor; o quarto domingo prepara-nos para a natividade de Cristo ao mesmo tempo fazendo dela a teologia e a história. Portanto, a liturgia contempla ambas as vindas de Cristo, em íntima relação entre si.

Espiritualidade do advento

Toda a liturgia do Advento é apelo para se viver alguns comportamentos essenciais do cristão: a expectativa vigilante e alegre, a esperança, a conversão, a pobreza.

a) A expectativa vigilante e alegre caracteriza sempre o cristão e a Igreja, porque o Deus da revelação é o Deus da promessa, que manifestou em Cristo toda a sua fidelidade ao homem: “Todas as promessas de Deus encontram nele seu sim” (2 Cor 1,20). A esperança da Igreja é a mesma esperança de Israel, mas já realizada em Cristo. Os nossos primeiros irmãos na fé, como atesta a Didaqué, imploravam: “Que o Senhor venha e passe afigura deste mundo. Maranatha. Amém”. Assim termina o livro do Apocalipse e toda a escritura: “Aquele que atesta essas coisas diz: Sim! venho muito em breve. Amém! Vem Senhor Jesus. A graça do Senhor Jesus esteja com todos. Amém” (Ap. 22,20).

A expectativa vigilante é acompanhada sempre pelo convite à alegria. O Advento é tempo de expectativa alegre porque aquilo que se espera certamente acontecerá. Deus é fiel. A vinda do Salvador cria um clima de alegria que a liturgia do Advento não só relembra, mas quer que seja vivida.O Batista, diante de Cristo presente em Maria, salta de alegria no seio da mãe.O nascimento de Jesus é uma festa alegre para os anjos e para os homens que ele vem salvar (cf. Lc. 1, 44.46 – 47; 2,10.13 – 14).

b) No Advento, toda a Igreja vive a sua grande esperança. O Deus da revelação tem um nome: “Deus da esperança” (Rm. 15,13).Não é o único nome do Deus vivo, mas é um nome que o identifica como “Deus para conosco”. O advento é o tempo da grande educação à esperança: uma esperança forte e paciente; uma esperança que aceita a hora da provação, da perseguição e da lentidão no desenvolvimento do Reino; uma esperança que confia no Senhor e liberta das impaciências subjetivistas e do frenesi do futuro programado pelo homem.Na convocação ao testemunho da esperança, a Igreja, no Advento, é confortada pela figura de Maria, a mãe de Jesus.Ela que “no céu, glorificada em corpo e alma, é a imagem e a primícia da Igreja…brilha também na terra como sinal de segura esperança e de consolação para o povo de Deus a caminho, até que chegue dia do Senhor” (cf. 2 Pd. 3,10).

c) Advento, tempo de conversão. Não existe possibilidade de esperança e de alegria sem retornar ao Senhor de todo coração, na expectativa da sua volta.A vigilância requer luta contra o torpor e a negligência; requer prontidão e, portanto, desapego dos prazeres e bens terrenos. O cristão, convertido a Deus, é filho da luz e, por isso, permanecerá acordado e resistirá às trevas, símbolo do mal, pois do contrário corre o risco de ser surpreendido pela parusia. Esse comportamento de vigilante espera na alegria e na esperança exige sobriedade, isto é, renúncia aos excessos e a tudo aquilo que possa desviar-nos da espera do Senhor. A pregação do Batista, que ressoa no texto do evangelho do segundo domingo do Advento, é apelo para a conversão, a fim de preparar os caminhos do Senhor. O espírito de conversão , próprio do Advento, possui tonalidades diferentes daquelas relembradas na Quaresma. A substância é essencialmente a mesma, mas, enquanto a Quaresma é marcada pela austeridade da reparação do pecado, o Advento é marcado pela alegria da vinda do Senhor.

d) Enfim, um comportamento que caracteriza a espiritualidade do Advento é o do pobre. Não tanto o pobre em sentido econômico, mas o pobre entendido em sentido bíblico: aquele que confia em Deus e apóia-se totalmente nele. Estes anawîm , como os chama a Bíblia, São os mansos e humildes , porque as suas disposições fundamentais são a humildade, o temor de Deus, a fé. Eles são objeto do amor benévolo de Deus e constituem as primícias do “povo humilde” (cf. Sf. 3,12) e da “Igreja dos pobres” que o Messias reunirá. Jesus proclamará felizes os pobres e neles reconhecerá os herdeiros privilegiados do Reino, ele mesmo será pobre. Belém, Nazaré, mas sobretudo a cruz, são diversas formas com que Cristo manifestava-se como autêntico “pobre do Senhor”.Maria emerge como modelo dos pobres do Senhor, que esperam as promessas de Deus, confiam nele e estão disponíveis, com plena docilidade, à atuação do plano de Deus.

Reflexao do Dia: Advento tempo de espiritualidade e ação

novembro 28, 2009
No domingo passado, 22, a Igreja
celebrou a solenidade de Cristo
Rei e teve início uma Campanha
importantíssima junto ao Povo de
Deus. A Campanha para a Evangelização,
com um tema que faz
pensar: “Ele se fez pobre para nos
enriquecer”. Com esta Campanha,
a Igreja quer conscientizar os fiéis
de sua responsabilidade na missão
de levar ao mundo Jesus Cristo e sua
mensagem. Quer conscientizá-los
de que colaborar financeiramente
no anúncio do evangelho é também
ser missionário. Quer deixar bem
claro no coração dos que já aceitam
Jesus Cristo como senhor e mestre,
que sua experiência com este Senhor
que transforma vidas e transforma o
mundo quer levar sua mensagem
de salvação a cada pessoa humana a
todos os cantos da terra.
Felizmente, a Igreja percebe que
até mesmo aqueles que já aceitam
Jesus não o conhecem profundamente,
não fizeram uma experiência
forte, alegre e transformadora da
pessoa de Jesus. Haja vista a frieza
com que se celebra a solenidade de
Cristo Rei. Uma solenidade litúrgica
que deveria tocar os corações,
movimentar as pessoas, agitar a vida
das comunidades, quase passa despercebida.
Por que esta solenidade
não desperta o mesmo entusiasmo
verificado quando se celebram Nossa
Senhora, Santo Expedito, Santa
Rita, São Judas Tadeu? Embora
seja preciso respeitar a religiosidade
popular, é tempo mesmo de a Igreja
oferecer oportunidade a seus filhos
de se iniciarem na vida cristã e a
se encantar por Jesus Cristo e seu
evangelho.
A iniciação à vida cristã fará os
batizados dar um passo a mais, decisivo
na sua formação, no encontro
pessoal com o Senhor. Isso vale,
particularmente, para os adultos,
para que depois eles testemunhem
Jesus Cristo às crianças, adolescentes
e jovens.
A Campanha para a Evangelização
acontece no tempo do Advento,
que abre um novo ano litúrgico. A
partir deste próximo domingo, o
povo de Deus canta sua esperança
na segunda vinda de Cristo que se
proclama no credo, na vinda do Cristo
que pode acontecer a qualquer
momento na vida pessoal, familiar
e comunitária, e na vinda do Cristo
que aconteceu no primeiro Natal e
se repete em todos os natais ao longo
da história.
Temos, portanto, razões de sobra
para fazer do Advento um tempo
de muita espiritualidade e ação.
Clamamos, “Vem, Senhor, vem
nos salvar!”, abrindo o coração para
acolher o Cristo. Refletimos sobre
o maravilhoso mistério da encarnação.
Experimentamos a presença
concreta de Jesus em nossa vida. E
colaboramos financeiramente com a
obra da evangelização que fará dos
que aceitam Jesus Cristo verdadeiros
discípulos missionários.
Fonte: Editorial do Jornal o Sao Paulo

Reflexao do Dia: Igreja e educação III

novembro 28, 2009

Nos esforços de contribuir com a Educação integral da pessoa humana, nossas universidades católicas só terão sentido se forem centros de genuína identidade cristã católica em vista do bem comum e da difusão não proselitista, mas autêntica, da mensagem e da pessoa de Jesus Cristo para o mundo hodierno. Bento XVI recordou em Aparecida que a Igreja não faz proselitismo, mas cresce por atração.

A Igreja crê em Cristo e o anuncia. Isto é central para a missão educativa. Um de seus efeitos será a transformação social, que no dizer de Bento XVI, vencendo estruturas injustas e criando estruturas justas, que devem ser buscadas e elaboradas à luz de valores fundamentais, com todo o empenho da razão política, econômica e social. São uma questão de reta ratio e não provêm de ideologias nem de promessas (ibidem).

Certamente, a universidade católica tem a missão de mostrar que uma sociedade sem Deus trai a si mesma, destrói o homem e perde as razões do bem que deve realizar. Ainda que sistemas político-econômicos como o marxismo e o capitalismo tenham tentado indicar formas de solução, suas teses vêm se demonstrando irreais e inócuas. Em ambos os casos ou se tenta eliminar a idéia de religião ou a permite como um direito ingênuo, o que na verdade gera o ateísmo prático. Quanto a isto, afirmou o Sumo Pontífice: Onde Deus está ausente – o Deus do rosto humano de Jesus Cristo – estes valores não se mostram com toda sua força, nem produz um consenso sobre eles. Não quero dizer – continua o Papa – que os não crentes não possam viver uma moralidade elevada e exemplar; digo somente que uma sociedade na qual Deus está ausente não encontra o consenso necessário sobre os valores morais e a força para viver segundo a pauta destes valores, mesmo contra os próprios interesses.(Discurso inaugural de Aparecida-2007).

A universidade católica não recebe somente alunos católicos, mas como centro de diálogo e respeito à liberdade religiosa, acolhe a todos. Contudo a todos propõe aquilo que ela crê robustamente: Jesus Cristo e seu evangelho, como único princípio da verdade, sabendo que isto vem em benefício da pessoa humana e em nada a diminui ou a constrange; pelo contrário, a eleva e a dignifica. E isto ela faz com descontração, pois certamente aqueles que a procuram, sabem que nela encontrarão esta oferta.
Dom Gil Antônio Moreira
Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora

Reflexão do Dia: Aniversario Canção Nova

novembro 27, 2009

A difícil missão de Evangelização exige é ato de fé, de coragem e de ousadia. Quero fazer minha homenagem à Canção Nova que ontem completou 20 anos. Quero orar agradecer a Deus pela vida de Mons. Jonas Abib, Luzia Santiagio e Eto. Muito bonito foi o testemunho que eles deram do apoio de Dom Lessa, arcebispo de Aracaju que desde o inicio foi presença amiga e definidora para esse passo importante para a Igreja no Brasil.

Ver pessoas, padres, bispos, diáconos e o povo de Deus consciente de sua missao no mundo é muito importante. A Igreja é povo de Deus. Todos juntos formamos o corpo místico de Cristo. Cada um com sua missao: o Papa, os bispos, os padres, os diáconos, os religiosos e religiosas e os leigos formamos o povo de Deus. Na Igreja a hierarquia não é poder, mas poder serviço.

Devo testemunhar que minha conversão à Renovação Carismática se deu na Canção Nova no ano de 1996, no mês de Novembro. Fui ali com meu querido povo de Liberdade, minha primeira paroquia. Quando cheguei na Canção Nova, ali estava pregando o Fradão. Eu vi no Fradão um convite de Deus e depois daquele momento, meu primeiro ano de padre, me tornei um sacerdote ligado à Renovação Carismática Catolica.

E obra de Deus! Vale a pena ver tanto entusiamo.

Reflexao do Dia: Igreja e Educação (II)

novembro 26, 2009
Prosseguindo o tema da semana passada, sobre a contribuição da Igreja no desenvolvimento das ciências e da formação integral da pessoa humana, destaco os esforços de Papas medievais como Bonifácio VIII, fundador da Universidade Sapiência de Roma no ano de 1303, Clemente V que legislou sobre a ampliação considerável de estudos de línguas nas Universidades, Honório III e Gregório IX no século XIII entre outros.
O nascimento de várias congregações religiosas, masculinas e femininas, a partir do século XVI e séculos sucessivos, com a fundação de inumeráveis escolas de nível superior, médio e elementar espalhadas por todo o mundo católico são sinais da contribuição da Igreja na Educação, procurando formar a pessoa em todos os seus aspectos, preparando-as dignamente para a vida,para a convivência social, para o progresso científico e para a dimensão transcendental.
É, contudo, necessário lembrar que seu trabalho nem sempre alcançou o sucesso esperado e nem tudo são rosas neste universo educacional. Porém, é inegável que a persistência e a perseverança tem sido provas de sua capacidade de superar obstáculos, nunca desistindo dos princípios irrenunciáveis.
No Brasil, temos hoje a ANEC (Associação Nacional da Educação Católica), resultado da junção feita no ano passado de Abesc (Associação Brasileira das Escolas Católicas) e Anamec (Associação Nacional das Mantenedoras das Escolas Católicas), órgão de convergência e articulação das Escolas Católicas do Brasil, com a finalidade de coordenar o trabalho da Igreja a serviço da Educação. Em carta aberta publicada, a ANEC declara: A atuação dessas entidades na implementação de programas beneficentes na educação constitui meio absolutamente eficaz para a viabilização de iniciativas igualmente valiosas nas áreas da saúde e da assistência social.
Exemplos disso são a instalação e administração de hospitais universitários, a prestação direta de serviços à população mais necessitada, o oferecimento de cursos e estágios de formação profissional, além dos inúmeros convênios firmados com o próprio Poder Público. Educação religiosa é área indispensável para o desenvolvimento pleno da pessoa humana.
Dom Gil Moreira
* Arcebispo metropolitano

Tema da Campanha da fraternidade 2011

novembro 25, 2009

Aconteceu nos dias 15 e 16 a reunião do Conselho Episcopal de Pastoral da CNBB (Consep), em Brasília. Esta reunião teve o intuito de avaliar a Campanha da Fraternidade 2009 (CF) “Fraternidade e Segurança Pública” e escolher os temas e lemas para a Campanha de 2011.

“A reunião acontece todos os anos e tem como finalidade avaliar a campanha do ano corrente, apresentar a campanha do ano seguinte e a escolha do tema e do lema para a campanha de dois anos depois”, afirmou o secretário executivo da CF, padre José Adalberto Vanzella.

Ficou escolhido então que em 2011 o tema será “Fraternidade e a vida no planeta” e o lema “A criação geme em dores de parto”. E em 2010, a Campanha será ecumênica e terá como tema “Economia e vida” e lema “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”, escolhido no ano passado.A avaliação da CF 2009 é feita pelo Consep, juntamente com os responsáveis pela Campanha da Fraternidade nos Regionais e pelos assessores da CNBB.O padre José Vanzella, apresentou os números da avaliação colhidos a partir de questionários enviados às dioceses e regionais. A análise dos dados, enviados pela internet, teve o auxílio da professora da Universidade Católica de Brasília (UCB), Maria Valéria. O resultado mostra que a Campanha foi realizada com êxito e que a Via Sacra foi um dos subsídios mais usados pelas paróquias.
Uma preocupação do Consep foi o baixo número de dioceses que participaram da avaliação, apenas 17% respondendo ao questionário. Segundo padre Vanzella, esse número aumentou em relação ao ano passado
Ainda de acordo com o padre Vanzella, após a escolha dos temas o próximo passo será a realização de um seminário que acontecerá nos dias 10 e 11 de setembro, na sede da CNBB em Brasília, para estabelecer os assuntos e as estruturas para a Campanha de 2011 e, posteriormente, apresentá-las para aprovação dos bispos.

Oi! Voce ja viu o Papa na internet?

novembro 25, 2009

“A vós, jovens, que quase espontaneamente vos sentis em sintonia com estes novos meios de comunicação, vos corresponde de maneira particular a tarefa de evangelizar este ‘continente digital’”, assegura. Com o passar da mensagem, o Papa destaca “o extraordinário potencial” que têm as novas tecnologias “quando se usam para favorecer a compreensão e a solidariedade humana”. Papa Bento XVI

Entre aqui : http://www.pope2you.net

Gostou? Nossa Igreja e maravilhoa nao e?

O Edir Macedo copia tudo. Esta copiando ideia da Globo

novembro 25, 2009

Huck e diretor do Gugu trocam farpas pelo Twitter

Um verdadeiro barraco online envolvendo Luciano Huck e o diretor do Gugu, Homero Salles, acabou em confusão na Globo e provas apagadas na web. A confusão começou quando durante o “Programa do Gugu”, anteontem, na Record, Luciano Huck postou no seu Twitter; “Vou acreditar que 80% do Programa do Gugu é uma “homenagem ao Caldeirão ! Agora o Gugu quer “se inspirar” também no Lata Velha! Tem gente que acha que povo é burro.”

Homero Salles, diretor de Gugu, entrou na briga via Twitter chamando Huck de “copiador de mão cheia”. “Deixa de ser babaca… Você dirige um táxi que o Gugu dirigia e pensa que pode falar dos outros?”, escreveu Salles no Twitter.

Diante da confusão, Luciano apagou as mensagens do Twitter. Há meses a Globo vem tentando que seu cast siga um manual de conduta na web, que, entre as regras, proíbe citar a concorrência.

Huck garante que apenas fez um comentário pessoal e o apagou quando soube que Homero se sentiu ofendido. A Globo, por meio de sua assessoria, diz que suas políticas internas dizem respeito só ao relacionamento da rede com seus contratados.

Fonte: jornal O Estado de S. Paulo.

Reflexao do dia: Oracao a Sao Rafael

novembro 24, 2009

Consagre seu dia a Deus! Reze com os Anjos. Eles sao nossos irmaos mais velhos. Eles oram conosco a Deus e assim a gente une o ceu e a terra.

Amigo, se voce cre, voce pode chegar onde voce quiser. Desde que seja honesto o que voce esta fazendo e nao prejudique ninguem. Deus e com voce. Juntemos nossas vozes as vozes do Anjos e digamos que Deus e o Senhor de nossas vidas. Digamos que seremos, MAIS, que vencedores.

Consagre a Deus seus olhos, seu trabalho, sua familia e seus amigos. Consagre a Deus a sua vida! Nao tenha medo de fazer desse momente que voce esta nesse blog sua oracao. Talvez seja o tempo que voce tem pra rezar, seja agora. Entao coloque vida na sua oracao. Deus vai te escutar. Ele quer te escutar. Aleluia!

Padroeiro:

cegos, médicos, farmacêuticos, doenças dos olhos, anjos da guarda, encontros felizes, amor, amantes, enfermeiras, pastores, viajantes e jovens.

Oração:

Glorioso Arcanjo São Rafael, que vos dignastes tomar a aparência de um simples viajante, para vos fazer o protetor do jovem Tobias; ensinai-nos a viver sobrenaturalmente, elevando sem cessar nossas almas, acima das coisas terrestres.
Vinde em nosso socorro no momento das tentações e ajudai-nos a afastar de nossas almas e de nossos trabalhos todas as influências do inferno.
Ensinai-nos a viver neste espírito de fé, que sabe reconhecer a misericórdia Divina em todas as provações, e as utilizar para a salvação de nossas almas.
Obtende-nos a graça que vos peço (faça o pedido), de inteira conformidade à vontade Divina, seja que ela nos conceda a cura dos nossos males, ou que recuse o que lhe pedimos.
São Rafael, guia protetor e companheiro de Tobias, dirigi-nos no caminho da salvação, preservai-nos de todo perigo e conduzi-nos ao Céu. Assim seja.
(Rezar 1 Pai Nosso, uma Ave Maria e fazer o sinal da Cruz).