Archive for setembro \29\UTC 2010

Festa dos Arcanjos: Gabriel, Miguel e Rafael

setembro 29, 2010

Dia 29 de Setembro

(quarta-feira, 2010)

Hoje, a Igreja celebra

a Festa dos Arcanjos:

S. Gabriel, S. Miguel e S. Rafael

São Gabriel Arcanjo

“Gabriel” – que significa “Deus é forte”, ou “aquele que está na presença de Deus” – aparece no assim chamado Evangelho da Infância, como Mensageiro da Boa Nova do Reino de Deus, que já está presente na pessoa de Jesus de Nazaré, nascido de Maria.

É ele quem anuncia o nascimento de João Baptista e de Jesus Cristo.

Anuncia, portanto, o surgimento de uma “nova era”, um tempo de esperança e de salvação para todos os Homens.

É ele quem, pela primeira vez, profere aquelas palavras que todas as gerações hão-de repetir para saudar e louvar a Virgem de Nazaré: «Avé, cheia de Graça. O Senhor é convosco!».

São Miguel Arcanjo

“Miguel” – que significa “Quem como Deus?” -, é o defensor do Povo de Deus no tempo de angústia.

É o padroeiro da Igreja Universal, e é aquele que acompanha as Almas dos mortos até o Céu.

Arcanjo São Rafael

“Rafael”- que quer dizer “medicina de Deus”, ou “Deus cura” – foi o companheiro de viagem de Tobias.

É o Anjo benfazejo, que acompanha o jovem Tobias desde Nínive até à Média; e que o defende dos perigos e patrocina o seu casamento com Sara.

É ele quem tira da cegueira o velho Tobias.

É aquele que cura, que expulsa os demónios.

São Rafael é o companheiro de viagem do Homem, seu guia e seu protector nas adversidades.

Anúncios

O terço na Biblia

setembro 28, 2010
Outubro – Mês do Rosário

Por Gilda Carvalho

A experiência de recitar o Rosário é uma das formas mais antigas da devoção popular à Maria.

Rezar o Rosário, individual ou conjuntamente, não é, porém, apenas uma simples recitação de uma série de orações.  É muito mais:  é, com Maria, percorrer a história da salvação através dos mistérios da vida de Jesus Cristo.

Contemplar os mistérios da vida de Jesus, é um convite a revivermos, internamente, cada momento que nos é proposto.  É relembrar, com a memória, a história; é olhar, com a imaginação, a cena que se passa; é entender, com o sentimento, o chamado que Deus nos faz através daquela reflexão.

No Rosário são rezadas as seguintes orações:

A meditação do Rosário começa com o Sinal da Cruz, evocação da Santíssima Trindade, princípio e fim de nossa fé.

Em seguida, o Credo que nos convida a meditar sobre os principais artigos de nossa fé.

Antes de iniciar os mistérios, temos um conjunto de quatro orações iniciais – um Pai Nosso e três Ave Maria que é um momento de petição e oferecimento da oração do Rosário que está sendo iniciada.

O Rosário é composto por  mistérios, organizados conforme a maneira que se propõe a reflexão sobre a história da Salvação.  Assim é que teremos cinco mistérios gozosos (ou da alegria),  cinco dolorosos, cinco gloriosos e, mais recentemente, os cinco mistérios luminosos.

Cada mistério é iniciado por um Pai Nosso seguido pela recitação de 10 Ave Maria  e finalizado com um Glória ao Pai.

Após a meditação dos mistérios, finaliza-se o Rosário com a recitação da Salve Rainha, em louvor à Maria pelas graças concedidas com a oração que termina.

O TERÇO

O Terço é uma forma abreviada de se rezar o Rosário.  Como o próprio nome diz, o Terço refere-se à terça parte do Rosário, ou seja, a meditação diária de apenas cinco dos conjuntos de mistérios propostos.  Tradicionalmente, a meditação dos mistérios é realizada conforme os dias da semana, ou seja, para cada dia é proposto um conjunto de mistérios diferente.

A recitação do Terço é bastante comum na oração individual e comunitária.  Famílias, grupos de oração e pastorais costumam reunir-se para rezar o Terço, marcando momentos de celebração e reflexão, sobretudo no mês de Maio, dedicado à Maria.

MEDITAÇÃO DOS MISTÉRIOS

Roteiro para percorrer os mistérios da história da Salvação, com sugestões de leituras bíblicas que poderão auxiliá-lo na contemplação proposta por cada um.

A carta apostólica Rosarium Virginis Mariae, recentemente publicada, faz uma alusão à distribuição dos mistérios pelos dias da semana, assemelhando-a ao tempo litúrgico de uma forma bastante interessante.  Diz o Papa João Paulo: “A distribuição pela semana acaba por dar às sucessivas jornadas desta, uma certa cor espiritual, de modo análogo ao que faz a Liturgia com as várias fases do ano litúrgico.”

Mistérios Gozosos ou da Alegria – Rezados às segundas e sábados
Primeiro Mistério:
Contemplação do anúncio do anjo Gabriel à Maria
Leitura Bíblica: Lc 1, 26-39
Segundo Mistério: Contemplação da visita de Maria à sua prima Isabel
Leitura Bíblica: Lc 1, 39-45
Terceiro Mistério: Contemplação do Nascimento de Jesus
Leitura Bíblica: Lc 2, 1-15
Quarto Mistério: Contemplação da apresentação de Jesus no Templo
Leitura Bíblica: Lc 2, 22-39
Quinto Mistério: Contemplação da perda e do encontro de Jesus no Templo
Leitura Bíblica: Lc 2, 41-52

Mistérios Dolorosos – Rezados às Terças e Sextas-Feiras
Primeiro Mistério
:
Contemplação da agonia de Jesus no Horto das Oliveiras
Leitura Bíblica:  Mc 14, 32-43
Segundo Mistério: Contemplação da flagelação de Jesus
Leitura Bíblica: Mt 27, 22-26
Terceiro Mistério: Contemplação da coroação de espinhos de Jesus
Leitura Bíblica: Mt 27, 27-32
Quarto Mistério: Contemplação de Jesus carregando sua cruz para ser crucificado
Leitura Bíblica: Lc 23, 20-32
Quinto Mistério: Contemplação da crucificação e morte de Jesus
Leitura Bíblica: Lc 23, 33-49

Mistérios Gloriosos – Rezados às quartas-feiras e aos domigos
Primeiro Mistério:
Contemplação da ressurreição de Jesus
Leitura Bíblica: Mt 28, 1-15
Segundo Mistério: Contemplação da ascensão de Jesus aos céus
Leitura Bíblica: At 1, 4-11
Terceiro Mistério: Contemplação da descida do Espírito Santo sobre N. Senhora e os Apóstolos no Cenáculo
Leitura Bíblica: At 2, 1-14
Quarto Mistério: Contemplação da Assunção de Nossa Senhora
Leitura Bíblica: 1Cor 15, 20-23; 53-55
Quinto Mistério: Contemplação da coroação de Maria como Rainha do Céu e da Terra
Leitura Bíblica: Ap 12, 1-6

Mistérios da Luz – Rezados às quintas-feiras
Primeiro Mistério:
Contemplação do Batismo de Jesus
Leitura Bíblica: Mc 1, 9-15
Segundo Mistério: Contemplação do primeiro milagre de Jesus: as bodas de Caná
Leitura Bíblica: Jo 2, 1-11
Terceiro Mistério: Contemplação do anúncio do Reino de Deus e do convite à conversão
Leitura Bíblica: Mc 1, 15
Quarto Mistério: Contemplação da Transfiguração de Jesus
Leitura Bíblica: Lc 9, 28-36
Quinto Mistério: Contemplação da Instituição da Eucaristia
Leitura Bíblica: Mc 14, 12-25

Missa da Saude

setembro 21, 2010

Amigo internauta confira esta agenda:

Dia 24 sexta-feira as 19h missa da saude na Matriz de Santa Rita de cassia.

Favor levar Biblia, pedidos e agradecimentos, agua, remedios pra serem abençoados, tambem fotografias, etc.

De sabado pra domingo as 0:oo havera outra missa de cura na Matriz com adoraçao durante toda a noite e encerramento as 06:30 da mnha de domingo.

Vc e nosso convidado.

Quem é (foi) São Lucas?

setembro 13, 2010

São Lucas escreveu dois livros da bíblia: o terceiro Evangelho que leva seu nome: Evangelho segundo Lucas e o livro dos Atos dos Apóstolos.

Segundo críticos, o Evangelho de São Lucas foi escrito por volta dos anos 80 ou 90. Ele conta o anúncio do Arcanjo São Gabriel a Maria, o nascimento e a infância de Jesus, bem como, sua vida adulta seus ensinamentos e milagres, a instituição da Eucaristia (a Santa Missa), morte e Ressurreição.

Já o Livro dos Atos dos Apóstolos foi escrito, provavelmente, a redor dos anos 80 depois de cristo. O livro dos Atos, narra, como o próprio nome diz, a ação dos Apóstolos, a partir do derramamento do Espírito Santo sobre eles no dia de Pentecostes. É o livro que conta o nascimento da Igreja, a eleição de São Matias, o concilio de Jerusalém, a conversão de São Paulo.

Portanto, primeiro São Lucas teria escrito o Evangelho (o nascimento, morte e Ressurreição de Jesus), e depois o livro dos Atos (o surgimento da igreja Católica).

O destinatário desta obra é : Teófilo! Este nome significa tanto uma pessoa, quanto um público mais vasto. Theo+filos significa em grego “amigo de Deus”. Portanto, são todos aqueles que são amigos de Deus, como eu e você.

Padre Antonio Vieira, grande pregador barroco dizia que: “Lucas evangelista, foi pintor, foi médico. Admirável, quando com três dedos tomava a pena como evangelista; admirável quando com três dedos tomava o pincel como pintor; admirável quando com três dedos tomava o pulso como médico.” (Pe. Antônio Vieira – Sermão do Evangelista São Lucas). Daí a Igreja confiar a São Lucas a proteção dos médicos e artistas plásticos.

O valor do casamento

setembro 7, 2010

O Concílio Vaticano II afirmou que “o autêntico amor conjugal seria mais apreciado e formar-se-ia a seu respeito uma sã opinião pública, se os esposos cristãos dessem um testemunho eminente de fidelidade e harmonia, além da solicitude na educação dos filhos, e se fizessem a sua parte na necessária renovação cultural, psicológica e social em favor do matrimônio e da família”. A fé cristã sustenta que o vínculo matrimonial é estabelecido por Deus, de modo que quem desvaloriza o casamento e banaliza esta instituição sagrada, contraria os desígnios de Deus, prejudica a si mesmo e a sociedade inteira, pois a família fundada no casamento indissolúvel é a célula primeira e vital da sociedade. Infelizmente, é verdade que muitas pessoas ignoram a grandeza e a importância do casamento, e o destroem por motivos banais, prejudicando gravemente as pessoas, sobretudo os filhos que, naturalmente, têm o direito de serem educados pelos pais biológicos dentro de uma família estável. Sabemos que a lei civil tende a facilitar o divórcio como se a dissolução do vínculo matrimonial fosse algo normal e benéfico para a família. Nada disso. É um grave erro concluir que o comportamento desagregador da maioria seja um bem a ser reconhecido pela lei. Devemos entender que acima das opiniões flutuantes e falíveis das pessoas e acima dos errôneos condicionamentos sociais, existe a verdade objetiva. Neste caso, trata-se da verdade objetiva da dignidade do casamento que precisa ser reconhecida, retomada, preservada e valorizada. Certamente que, como todas as realidades grandiosas e benéficas, a vida conjugal exige um empenho sério e muitos esforços individuais, familiares e sociais. O amor conjugal não deve ser entendido de maneira fantasiosa, como nos contos de fada. O amor é inseparável da fidelidade, da doação, da renúncia e do sacrifício. Quem procura um amor isento de sacrifícios, de renúncias e de compromissos, é porque ainda não sabe o que é o amor. É preciso lembrar que as crianças e os jovens que hoje estão sendo influenciados pela injusta mentalidade divorcista e pela idéia de um amor descartável e sem compromisso, amanhã facilmente interpretarão o casamento não como uma graça de Deus, mas sim como um peso negativo e uma ameaça a ser evitada.

Por fim, para os casais em crise, com sincera humildade eu sugiro uma reflexão a partir daquela bela oração de São Francisco que diz assim: “Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Ó Mestre, fazei que eu procure mais consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna”.

Este artigo é importante, porque em um mundo marcado pelo relativismo do amor, o autor dá um tom de eterno. O amor é um dom supremo que vem de Deus e por isso é eterno e deve ser vivido assim, para sempre.

Com minhas bençaos,

Pe. Camilo

Nossa senhora de Nazare abençoai-me

setembro 7, 2010

Nossa Senhora de Nazaré Rogai por nós!

Amanhã, na cidade de nazareno, interior da Minas Gerais, se celebra o dia da padroeira, Nossa senhora de Nazaré. É um dia de muita comoção porque chegam romeiros de todos os cantos. Este ano eu estarei lá! Tenho muita fé na mãe de Jesus.

Oito de setembro se celebra o aniversario de Nossa senhora. No calendário da Igreja se fala festa da Natividade de Maria – a Mãe de Jesus e da Igreja. Quero brindar o internauta, com este belíssimo canto de Nossa Senhora:

Está no Evangelho de São Lucas 1, 46-56

46. E Maria disse: Minha alma glorifica ao Senhor,

47. meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador,

48. porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações,

49. porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo.

50. Sua misericórdia se estende, de geração em geração, sobre os que o temem.

51. Manifestou o poder do seu braço: desconcertou os corações dos soberbos.

52. Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes.

53. Saciou de bens os indigentes e despediu de mãos vazias os ricos.

54. Acolheu a Israel, seu servo, lembrado da sua misericórdia,

55. conforme prometera a nossos pais, em favor de Abraão e sua posteridade, para sempre.

56. Maria ficou com Isabel cerca de três meses. Depois voltou para casa.

Amem!

Sao Lucas padroeiro dos medicos e artistas plasticos

setembro 5, 2010

Foi São Lucas evangelista, foi pintor, foi médico. Admirável, quando com três dedos tomava a pena como evangelista; admirável quando com três dedos tomava o pincel como pintor; admirável quando com três dedos tomava o pulso como médico.” (Pe. Antônio Vieira – Sermão do Evangelista São Lucas).

Somente um mestre das palavras como Pe. Vieira poderia perceber a grandeza deste evangelista e descrevê-lo à altura de sua produção artística.

Com certeza Lucas foi uma pessoa muito culta e hábil na arte de escrever demonstrando ser um artista delicado e um historiador muito atento. Parece conhecer muito bem a historiografia da época, refletindo os acontecimentos com Jesus (que se passaram na cultura e geografia Judéia) com base na cultura grega. Lucas é de origem grega – pagão – e provavelmente tornou-se cristão pela pregação dos discípulos de Jesus. Antes de escrever seu Evangelho entre os anos 80 e 90, também é provável que tenha lido os evangelhos de Marcos e Mateus, fontes estas que lhe serviram de inspiração para que escrevesse sua obra.

Porém, Lucas difere-se dos outros evangelistas não somente pelo seu jeito de escrever e sua proveniência grega. Sua originalidade está em ter escrito uma dupla obra histórico religiosa: O Evangelho, onde relatará o ensino, a atividade e o destino de Jesus e o Atos dos Apóstolos, em que falará dos primórdios da Igreja. Assim ele quer desenvolver uma história da Salvação que começa com o povo de Israel e culmina em Jesus e na Igreja Primitiva. Por isso seu Evangelho também é conhecido como o “Evangelho do Caminho”: o caminho que Jesus percorre da Galiléia rumo (subida) à Jerusalém, o lugar da morte, ressurreicão e missão. Caminho este que todo cristão deve percorrer com o mestre. Entendamos desta forma não como uma trajetória geográfica, mas como um caminho teológico, espiritual, onde o cristão vai amadurecendo na compreensão de sua missão como seguidor de Jesus. Um “itinerário” da Salvação.

Logo no início do Evangelho temos uma indicação do destinatário desta obra: Teófilo! Este tanto pode ser considerado como uma pessoa, como também um público mais vasto, já que Theo+filos significa em grego “amigo de Deus”. Porém, somente lendo-o é que perceberemos que na verdade os destinatários são as comunidades cristãs espalhadas pelo império romano com as seguintes características: a) Urbanas (a palavra cidade aparece 40 vezes); b) Conflitos sociais entre ricos e pobres (Lc 6,20-23.24; 12,16-21); c) Convertidos (Lc 23,34); Jesus dá muita atenção às mulheres; d) Quer incentivar as comunidades que estão desanimadas por volta do ano 80.

Podemos dividi-lo em quatro partes: 1) Introducão Geral (1,1-4,13); 2) Missão de Jesus na Galiléia (4,13 – 9,50); 3) Subida para Jerusalém (9,51 –19,27); 4) Jerusalém (19,28 – 24,53). Com esta divisão podemos notar nitidamente a intenção progressiva do evangelista em traçar a trajetória de Jesus até Jerusalém.

Lucas tenta responder duas questões marcantes que perpassam todo o Evangelho: a)Quem é Jesus? b) O que significa ser seguidor de Jesus? Tentando responder estas questões, Jesus então nos é apresentado como Salvador do Mundo (2,30-32); Libertador dos pobres (4,18-19); Profeta de Deus (24,19); Alguém de muita oração e ação (6,12; 11.1-13). Ser seu seguidor neste caso consiste em: Caminhar com Jesus (9,57-62); Ser misericordioso (10,29-37); Ter cuidado com a ganância (12,33-34); Seguir o caminho de Jesus fazendo o que ele fez (14,25-33). Jesus é apresentado como o homem da comunhão universal. Ele não recusa o convite de ninguém, só não aceita ser bajulado. Vai aonde o convidam, mas não esconde as razões do Reino que anuncia.

Assim, como um bom médico tem no coração das pessoas o indicador do pulsar da vida, nosso “médico evangelista” também nos apresenta o coração de sua obra no capítulo 15, no qual encontramos três parábolas da misericórdia que nos revelam, na figura de Jesus, a pedagogia do Pai. Jesus vem resgatar aquilo que estava perdido: a ovelha, a moeda e o filho. Independentemente de quantos se perdem, basta que um esteja perdido para que se torne objeto de preocupação principal. Lucas nos revela que o universo inteiro sofre quando se perde, por que isso faz sofrer a Deus.

E é neste intuito de sermos criativos e inovadores que este evangelista nos deve estimular para que respondamos os desafios do mundo atual. Que o médico, o historiador e o artista Lucas nos sirva de exemplo para que usemos de todos os dons que dispomos quando formos dar o testemunho autêntico de “quem é Jesus para nós”.

Domingo Dia do Senhor!

setembro 4, 2010

Amigo internalta, nao deixe de participar da Missa amanha. Domingo e o dia do Senhor onde reabastecemos nossas almas com as bençaos do ceu. Deus esta te esperando!

Aqui na Igreja de Santa Rita temos Missas:

as 7, as 9 e as 19.

No Marumbi, na Igreja de Sao Lucas

Temos: Missas as 17 horas.

Em breve a programaçao completa da festa de Sao Lucas

Estudos: Livro do Profeta Jonas cap. 1

setembro 3, 2010

Caro internauta proponho que você acerte seu passo com a paróquia de Santa Rita. Nós começamos, na segunda-feira passada, o estudo do livro do profeta Jonas, conforme nos sugeriu a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Podemos estudar juntos e aprender muito sobre a Bíblia, livro escrito em mutirão e que deve ser lido e estudado em grupo.  Então, gostaria que você lesse o capitulo 1º de Jonas conforme sugiro agora:

Livro do Profeta Jonas cap. 1

1. A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas, filho de Amitai, nestes termos:

2. Levanta-te, vai a Nínive, a grande cidade, e profere contra ela os teus oráculos, porque sua iniqüidade chegou até a minha presença.

3. Jonas pôs-se a caminho, mas na direção de Társis, para fugir do Senhor. Desceu a Jope, onde encontrou um navio que partia para Társis; pagou a passagem e embarcou nele para ir com os demais passageiros para Társis, longe da face do Senhor.

4. O Senhor, porém, fez vir sobre o mar um vento impetuoso e levantou no mar uma tempestade tão grande que a embarcação ameaçava espedaçar-se.

5. Aterrorizados, os marinheiros puseram-se a invocar cada qual o seu deus, e atiraram no mar a carga do navio para aliviarem-no. Entretanto, Jonas tinha descido ao porão do navio e, deitando-se ali, dormia profundamente.

6. Veio o capitão e o despertou: Dorminhoco! Que estás fazendo aqui? Levanta-te e invoca o teu Deus, para ver se ele se lembra talvez de nós e nos livre da morte.

7. Em seguida disseram os marinheiros entre si: Vinde e tiremos à sorte para sabermos quem é a causa deste mal. Lançaram a sorte e esta caiu sobre Jonas.

8. E perguntaram-lhe: Tu, por quem nos acontecem estes males, dize-nos qual é a tua profissão? De onde vens? A que país e a que raça pertences?

9. Sou hebreu, respondeu ele. Adoro o Senhor, Deus dos céus, que criou o mar e todos os continentes.

10. Ficaram então aqueles homens possuídos de grande temor, e disseram-lhe: Por que fizeste isto? Pois tinham compreendido, pela própria declaração de Jonas, que este fugia para escapar à ordem do Senhor.

11. E disseram-lhe: Que te havemos de fazer para que o mar se acalme em torno de nós? Porque o mar tornava-se cada vez mais ameaçador.

12. Tomai-me, disse Jonas, e lançai-me às águas, e o mar se acalmará. Reconheço que sou eu a causa desta terrível tempestade que vos sobreveio.

13. Os homens remavam para ver se conseguiam ganhar a costa, mas em vão, porque o mar se embravecia cada vez mais contra eles.

14. Então invocaram o Senhor: Senhor, disseram eles, não nos façais perecer por causa da vida deste homem, nem nos torneis responsáveis pela vida deste homem que não nos fez mal algum. Vós, ó Senhor, fizestes como foi do vosso agrado.

15. E, pegando em Jonas, lançaram-no às ondas, e a fúria do mar se acalmou.

16. Tomada de profundo sentimento de temor para com o Senhor, a tripulação ofereceu-lhe um sacrifício, acompanhado de votos.

Obs: Quem quiser participar o curso de Jonas está sendo ministrado toda segunda-feira às 19 horas e 30 minutos dentro da Igreja matriz de Santa Rita. Em nossa livraria, que fica aberta durante as aulas, você pode comprar Bíblias, livrinho sobre Jonas e lembrancinhas para amigos etc.

“A mãe (ou o pai!) que leva o filho para a igreja, não vai buscá-lo na cadeia…”

setembro 2, 2010

1. Assuma seu papel de pai. Educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.

2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo. Não se pode castigar com internet, som, tv, etc…

3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.

4. É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas (poucos pais fazem isso, sempre acham que o filho é “vítima”) .

5. Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona.

6. A autoridade deve ser compartilhada entre os 2pais. Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa (há pais que gostam de fazer o papel de bonzinhos) . Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente.

7. Em casa que tem comida, criança não morre de fome . Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.

8. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.

9. É preciso transmitir aos filhos a idéia de que temos de produzir o máximo que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.

10. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente. É preciso dar uma base para que o adolescente tenha limites.

11. A gravidez na adolescência é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista sexual.

12. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está sóbrio, mas é dependentedela , agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga . A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve ‘abandoná-lo’ na agressão e só acolhê-lo quando abrir mão dela.

13. A mãe de drogados é geralmenteincompetente para ‘abandonar’ o filho quando se torna agressivo . Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.

14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.

15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.

16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade.

17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite.. Nunca.

18. Muitos avós são desequilibrados ou mesmo loucos. Devem ser tratados. (palavras dele).

19. Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também.

20. Videogames são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem ‘vidas’, e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.

21. Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão. Aluno tem que respeitar professor. Os pais não podem desautorizar as ordens dos professores.

22. Pais e mães não pode se valer totalmente dofilho por inabilidade em tecnologia. Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com computador’. Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe.

23. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles.. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.

24. Filhos dependentes de drogas são aqueles que sempre estiveram no topo da família.

25. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.

26. Dinheiro ‘a rodo’ para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.

Palestra ministrada pelo médico psiquiatra Içami Tiba