Archive for agosto \29\UTC 2011

Pensamentos sobre Madri…

agosto 29, 2011

 

Pensamentos sobre Madri…

Hoje, a imprensa da Espanha, da Itália e de outros países comenta, admirada, a Jornada Mundial da Juventude. Fala de um Papa de 84 anos que atraiu dois milhões de jovens; fala da vitória da Igreja sobre o governo esquerdista e anticlerical da Espanha de Zapatero, fala do Papa que sabe falar aos jovens, fala da força da Igreja que renasce na Espanha…

 

 

Meu querido Leitor, é a mesmíssima imprensa que já afirmou repetidamente que Ratzinger não tem carisma algum, que a Igreja já não tem credibilidade nenhuma, que o escândalo dos padres pedófilos colocou por terra o período triunfalista de João Paulo II, que a Igreja entrou numa decadência sem fim e sem cura… A mesma imprensa que tinha certeza de que, sem João Paulo II, os jovens não mais se reuniriam em tamanha multidão…

Que lições devemos tirar de tudo isto? Aquelas que tenho recordado constantemente neste Blog: os cristãos não devem nunca interpretar as coisas de Deus a partir dos critérios do mundo, particularmente aqueles da imprensa! Nossa visão tem que ser a partir do Alto, a partir da cruz e da ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo!

 

 

Pense um pouco: (1) Os jovens não foram a Madri por causa de Bento XVI – como no passado não foram por causa de João Paulo II: os jovens foram por causa de Cristo, foram para encontrar Jesus! Um Papa nunca é, nunca pode ser uma atração: não dança, não canta, não requebra, não é sarado, não faz pirueta e não aparece sob efeitos especiais! E se fizer isso, não é o Papa, é a Xuxa! Os jovens foram, vão e irão sempre a esses encontros pela sede que consome seus corações: por causa de Cristo, vida da nossa vida e saciedade da nossa esperança! (2) Um Papa não tem que ser “carismático” no sentido mundano. Todo Papa é carismático, porque, uma vez eleito, recebeu o carisma, isto é a cháris, a graça própria do ministério petrino. Pode ser o comunicativo João Paulo II, o simpático João Paulo I, o bonachão João XXIII, o hierático e angelical Pio XII, o feioso Bento XV, o valente Pio XI, o melancólico Paulo VI ou o tímido Bento XVI. O verdadeiro católico não ama um Papa, não ama esse Papa, ama o Papa, escuta o Papa, obedece ao Papa – exatamente porque é o Papa, seja ele quem for! Para o católico todo Papa é Pedro, e basta!

 

 

(3) Essa multidão reunida não é, não deve ser e não pode ser uma prova de força da Igreja! Nossa força está unicamente na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo – é a mesma força da Semana Santa do ano passado, quando a imprensa acusava a Santa Igreja de Cristo de ser uma rede internacional de pedófilos e se diziam misérias contra o Santo Padre! Nossa força é Cristo, nossa vida é Cristo, nossa certeza é Cristo, nossa alegria e esperança é Cristo! (4) É verdade que Zapatero, adversário ferrenho do cristianismo, está passando – como passaram outros e passarão tantos outros. Ficará a Igreja, a Mãe católica amabilíssima, porque Cristo assim o quis e assim o prometeu! Mas, não devemos pensar aqueles jovens como um triunfo da Igreja sobre ninguém. O único triunfo que devemos buscar é o triunfo sobre o pecado nosso e do mundo inteiro! Se Zapatero é um inimigo externo da Igreja, também nós a prejudicamos com nossos pecados e egoísmos, com nossa tibieza e falta de amor… Os piores inimigos da Igreja estão dentro dela! (5) Quanto ao renascimento da Igreja na Espanha ou em qualquer parte do mundo, ele não pode ser medido por números, por multidões ou eventos… Somente o Senhor da Igreja conhece o número dos seus, somente ele sabe do vigor e da fraqueza de sua Santa Esposa, nossa Mãe católica! No entanto, se aquela multidão de jovens na casa dos vinte anos estava lá, significa que nas paróquias, nos grupos, nos movimentos, nas novas comunidades, nas congregações há uma Igreja viva, crente, orante, disposta a testemunhar o Senhor! Lembra do fermento na massa, do grão de mostarda, do tesouro escondido? Pois é, Jesus não erra nunca; Jesus sabe o que diz e sustenta o que fala! (6) Quanto aos elogios a Bento XVI, que sabe falar aos jovens, ele fala de Cristo com simplicidade, clareza e a convicção de quem experimentou o Senhor ao longo de toda a vida. Isto basta! Mais impressionante que aquela multidão escutando o Papa de 84 anos, é vê-la, junto com o ancião pontífice, silenciosa, contida, piedosamente reverente, ante um pedacinho de pão que esses católicos bobos afirmam ser o próprio Jesus imolado e ressuscitado, realmente presente neste mundo! Basta ver isso para perceber a força da fé, a atuação da graça e a esperança do mundo. (7) Para terminar, repito, mais uma vez: se fossem somente vinte jovens a comparecer a Madri, ainda assim Cristo estaria ali, vivo, atuante, potente, matando a sede de todo aquele que dele se aproxime.

Lembre dessas coisas, meu Leitor, quando daqui a pouco, por algum motivo, nalguma dificuldade, a imprensa novamente decretar que a Igreja está no fim, que o cristianismo passou, que a religião é coisa do passado… Então: firmes na fé, com os olhos fixos em Cristo!

 

 

 

— Se você pretende retransmitir esta mensagem, tome as seguintes medidas de segurança, que com certeza favorecerão a você, a mim e aos seus amigos:a) apague todos os endereços que aparecem nela. (Para combater a poluição visual. Ninguém merece rolar “quilômetros” de tela até chegar na mensagem propriamente dita) eb) coloque os endereços dos seus contatos no “Cco” ou “Bcc” (destinatário oculto). Dessa forma, os endereços dos destinatários não serão expostos a curiosos e spammers.Faça a sua parte para que tenhamos uma internet mais limpa, mais eficaz e, principalmente, livre de spam.


Mistagogia: novo caminho formativo de catequistas

agosto 27, 2011
O que está em jogo é o processo formativo do povo, no âmbito catequético. O Sulão da Catequese faz parte desse processo, agora com o tema “Mistagogia: novo caminho formativo de catequistas”. A motivação principal é o encontro com o Senhor, o “ver o Senhor”. É o aspecto do mistério dentro da Iniciação à Vida Cristã, para levar o catequizando a encontrar Jesus nos dados do patrimônio da fé que lhe são oferecidos.

A nossa reflexão deve preocupar-se muito com os ambientes motivadores da catequese, como a família e a comunidade cristã. Na roupagem e moldes da nova cultura, marcada de muito individualismo, uma catequese que consiga tocar os corações e as mentes dos interlocutores, dos catequizandos. Por isso, uma catequese com perspectiva cristológico-bíblica, com testemunho e que mostre a grandeza de Deus.

A realidade moderna exige formação dos catequistas para que saibam ler os desafios da cultura, reconheçam e anunciem Cristo com todas as suas exigências. Cada catequista deve se sentir chamado por Jesus e dar sua resposta de discípulo. Ele é mistagogo quando tem experiência do mistério com profundidade, quando consegue mergulhar-se nele. Isso supõe participação comunitária na fé e vivência dos sacramentos, dando dimensão missionária, profética e testemunhal.

O catequista mistagogo é aquela pessoa que reconhece o Mestre Jesus e se declara disposto a seguir os Seus ensinamentos. Sente-se chamado por Deus e faz profunda experiência de Jesus Cristo. Ele testemunha sua fé na comunidade cristã, busca ter equilíbrio, capacidade de relacionamento com todos e consegue contagiar aqueles com quem convive. Com tudo isso, ele é interlocutor da fé, que ajuda os catequizandos na maturação de fé

Por fim, o catequista mistagogo tem uma espiritualidade envolvente. Tem uma cumplicidade com Deus, sendo seu porta-voz. Tem experiência de intimidade com Deus na oração, na participação litúrgica, na leitura orante da Palavra de Deus, no seguimento de Jesus Cristo e na formação de comunidades cristãs. Ele, na oração e contemplação, procura ver a realidade, isto é, a vida com os olhos de Deus.

Dom Paulo Mendes Peixoto
Bispo de São José do Rio Preto

Missas dos finais de Semana

agosto 26, 2011

Convidamos os nossos amigos para participarem das Missas de finais de Samana na Paróquia de Santa Rita:

Sábados:  às 18h na matriz e às 19h na comunidade Santa Maria

Domingos: 7h, 9h, 19 Matriz e às 17h São Lucas Marumbí

Missa da Saúde dia

agosto 26, 2011

Amanhã Sexta-feira Missa da saúde na matriz de Santa Rita às 19h. Trazer bíblia, pedidos para serem queimados, roupas, fotos, água e remédios para serem abençoados.

Aguardamos você. Depois da missa, teremos canjica doce e canjiquinha para quem quiser um bom lanche.

 

Podemos venerar as imagens dos santos?

agosto 26, 2011
As imagens nos lembram aqueles que elas representam

Desde os primeiros séculos os cristãos pintaram e esculpiram imagens de Jesus, de Nossa Senhora, dos santos e dos anjos, não para adorá-las, mas para venerá-las. As catacumbas e as igrejas de Roma, dos primeiros séculos, são testemunhas disso. Só para citar um exemplo, podemos mencionar aqui o fragmento de um afresco da catacumba de Priscila, em Roma, do início do século III. É a mais antiga imagem da Santíssima Virgem. O Catecismo da Igreja Católica (CIC) traz uma cópia dessa imagem (Ed. de bolso, Ed. Loyola, pag.19).

É o caso de se perguntar, então: Será que foram eles “idólatras” por cultuarem essas imagens? É claro que não. Eles foram santos, mártires, derramaram, muitos deles, o sangue em testemunho da fé. Seria blasfêmia acusar os primeiros mártires da fé de idólatras. O Concílio de Nicéia II, em 787, declarou:

“Na trilha da doutrina divinamente inspirada dos nossos santos Padres, e da Tradição da Igreja Católica, que sabemos ser a tradição do Espírito Santo que habita nela, definimos com toda a certeza e acerto que as veneráveis e santas imagens, bem como a representação da cruz preciosa e vivificante, sejam elas pintadas, de mosaico ou de qualquer outra matéria apropriada, devem ser colocadas nas santas igrejas de Deus, sobre os utensílios e as vestes sacras, sobre paredes e em quadros, nas casas e nos caminhos, tanto a imagem de Nosso Senhor, Deus e Salvador, Jesus Cristo, quanto a de Nossa Senhora, a puríssima e santíssima mãe de Deus, dos santos anjos, de todos os santos e dos justos” (Catecismo da Igreja Católica, nº 1161).

Deus nunca nos proibiu de fazer imagens, e sim “ídolos”, deuses,  para adorar. O povo de Deus vivia na terra de Canaã, cercado de povos pagãos que adoravam ídolos em forma de imagens (Baals, Moloc, etc). Era isso que Deus proibia terminantemente. A prova disso é que o Altíssimo ordenou a Moisés que fabricassem imagens de dois querubins e que também pintassem as suas imagens nas cortinas do Tabernáculo. Os querubins foram colocados sobre a Arca da Aliança. Confiar essas passagens: Ex. 25,18s, Ex 37,7; Ex. 26,1.31; 1 Rs. 6,23; I Rs 7,29; 2 Cr. 3,10.

Da mesma forma, Deus Pai mandou que, no deserto, Moisés fizesse a imagem de uma serpente de bronze (cf. Nm 21, 8-9), que prefigurava Jesus pregado na cruz (cf. Jo 3,14). Que fique claro, Deus nunca proibiu imagens, e sim, “fabricar imagens de deuses falsos”. Mas isso os cristãos nunca fizeram porque a Igreja nunca permitiu. As imagens sempre foram, em todos os tempos, um testemunho da fé. Para muitos que não sabiam ler, as belas imagens e esculturas foram como que o Evangelho pintado nas paredes ou reproduzido nas esculturas. Vitor Hugo dizia que as igrejas eram “Bíblias de pedra”. As imagens nos lembram que aqueles que elas representam chegaram à santidade por graça e obra do próprio Deus, são exemplos a serem seguidos e diante de Deus intercedem por nós.

Felipe Aquino

Feliz dia dos pais! Faça você mesmo a mudança na sua família.

agosto 14, 2011

Meu amigo Pai, quero te saudar neste dia bonito e oferecer-lhe este dois vídeos do padre Léo. Isso quer dizer o papel do pai na família. Você é o principal responsável pela paz na sua família. Como o fato que o padre Léo conta, nestes dois vídeos curtos, você pode, agora, começar a mudar a história da sua família. 

Deus te abençoe e feliz dia dos pais!

O Assassinato do Juíza No Rio Compreenda a causa

agosto 12, 2011

Horas antes de ser assassinada, juíza decretou prisão de dois PMs

Carlos Adílio Maciel e Sammy dos Santos Quintanilha são acusados de forjar um auto de resistência, ocorrido no dia 5 de junho deste ano, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo.

Parece-me que fazer justiça neste país é crime. sem dizer que somos nós, cidadãos, quem pagamos a polícia.

Os novos Moisés

agosto 12, 2011

Os novos Moisés

Dom Murilo S. R. Krieger, scj

Arcebispo de São Salvador da Bahia e Primaz do Brasil – BA

A Bíblia é, ao mesmo tempo, o livro que nos revela os passos de Deus à procura do ser humano e o livro que apresenta as respostas do ser humano às propostas divinas. Cada pessoa ou comunidade tem muito a aprender com aqueles que exerceram missões na história da salvação. Somos convidados a olhar para suas virtudes, para imitá-los; a tomar conhecimento de suas fraquezas, para não repetirmos seus erros. De poucos personagens bíblicos temos a aprender tanto como de Moisés – ele que libertou os hebreus da escravidão egípcia, que lhes deu a Lei, promulgada no monte Sinai, e que os conduziu até a Terra Prometida.

Moisés não queria acreditar no que ouvia. Mas como não acreditar se era o próprio Senhor quem lhe falava? “Vai, desce! Porque se corrompeu o teu povo que tiraste do Egito. Desviaram-se do caminho que prescrevi; fizeram para si um bezerro de metal fundido, prostraram-se diante dele e ofereceram-lhe sacrifícios…” (Ex 32,7-8). Mais difícil ainda era acreditar que seu próprio colega, Aarão, chamado também a ser líder, tinha aceitado a proposta da multidão, para fazer um deus que marchasse à sua frente. Mais: ele é que coordenara o recolhimento de brincos de ouro, fundira o bezerro e construíra o altar diante do qual eram oferecidos sacrifícios. Se para Moisés já não era fácil ver sua gente comendo, bebendo e fazendo festas em honra de um “deus” esculpido por mãos humanas, como, então, compreender a atitude de Aarão?

Mesmo assim, Moisés não aceitou o que o Senhor lhe propôs: “Deixa, pois, que se acenda minha cólera contra eles e os reduzirei a nada; mas de ti farei uma grande nação” (Ex 32,10). Moisés concordava que era uma raça “de cabeça dura”; no entanto, sentia-se responsável por ela e pediu ao Senhor misericórdia e perdão. O terrível gesto de idolatria teve sérias consequências para aquele povo chamado a ser “um reino de sacerdotes e uma nação consagrada” (Ex 19,6); não ocorreu, contudo, a rejeição que Moisés tanto temia.

Nosso tempo tem urgente necessidade de novos Moisés. Assim como o povo escolhido se cansou, em um dado momento, dos sacrifícios da caminhada, e procurou agarrar-se a coisas mais concretas, hoje não poucos cortam de suas vidas qualquer preocupação com a vida eterna e vivem em função do imediato, do palpável, do prazer aqui e agora. Pior do que o ateísmo intelectual é o ateísmo prático: não se discute a respeito da existência de Deus ou de temas como os “novíssimos” morte, juízo, inferno e paraíso; vive-se como se nada disso fosse realidade e acaba-se construindo um estilo de vida segundo a nova situação, dando um novo vigor à tese do filósofo francês Blondel: “Quem não vive como pensa, acaba pensando como vive”.

Necessitamos de novos Moisés. Não é preciso que reajam como o primeiro que, quando se aproximou do acampamento e viu o bezerro e as danças, “sua cólera se inflamou, arrojou de suas mãos as tábuas e quebrou-as ao pé da montanha. Em seguida, tomando o bezerro que tinham feito, queimou-o e esmagou-o até o reduzir a pó, que lançou na água e fez beber aos israelitas” (Ex 32,19-20). Os Moisés de hoje tenham a capacidade de interceder pelo povo com orações e súplicas; saibam oferecer a própria vida em favor dos irmãos; sejam tão seguros do que querem que não se importem se forem incompreendidos e ridicularizados; acreditem que é possível vencer o mal com o bem e, sobretudo, sejam animados de consoladora certeza: a semente, ao ser jogada na terra, desaparece, mas depois germina, transforma-se em planta que  produz frutos; a vida nasce da morte e a Cruz, com tudo o que significou de fracasso e humilhação, foi o passo necessário para que acontecesse a ressurreição.

Surjam logo os novos Moisés! E que eles não se esqueçam de levantar sua tenda de reunião, onde possam se entreter com Deus face a face, “como um homem fala com seu amigo” (Ex 33,11). A presença desses novos Moisés na terra dos homens será a garantia de que Deus não se cansou de seu povo, apesar dos bezerros de ouro que continuam a ser fabricados e adorados.

VOCÊ ESTÁ FICANDO VELHO(A), SE:…

agosto 9, 2011

1 – Fez curso de datilografia?

2- Odiava ou adorava as provas com cheiro de álcool, recém copiadas no mimeógrafo(usando papel estêncil)?

3- Não ia para a escola no dia do seu aniversário com medo de levar um ovo ou vários na cabeça?

4- Aumentava o rádio quando tocava Barão Vermelho,Engenheiros do Havaí, Paralamas e RPM?
 
5- Usava caneta de 10 cores com cheiro?

6- Viu a Gretchen cantar Conga La Conga, o Ritchie cantar Menina Veneno?
 
7- Jogava Enduro e River Raid no Atari? E Master System?

8- Tentou fazer o break do Michael Jackson?

9- Brincava de “Estátua”, “Batata-quente”, “Queimada”, “Pega-pega”, “Pique-esconde”, “Estrela Nova Cela”, “Forca”,
“Cabra-cega”, “Passa Anel”,”Boca de Forno”, Amarelinha”, “Casamento Atrás da Porta” e “STOP” (Uésssstopê!!!)?
   
10- Tinha Melissinha, botas sete léguas, catina, conga, kichute??? E sabia que o Tênis Montreal era o único anti-micróbio?
    
11- Comia “Lollo”, antes de se chamar “Milkbar”?

12- Colecionava papel de carta?
  
13- Usou aquelas pulseirinhas de linha ou lã?

14 -E pulava elástico?

15- Usava aquelas chuquinhas de pano da Pakalolo?

16- Dançava lambada do Sidney Magal ou do Beto Barbosa? Ou corria pra dançar quando escutava a música “Chorando se foi,
quem um dia só me fez choraaaar…”?

17- Usou aqueles brilhos labiais que o pote tinha forma de morango? Ou aqueles brilhos tipo da Moranguinho?

18- Ploc Gigante? Chupava bala Soft? Bebia Crush? Comia bala Xaxá?
   
19 – Comprava Dip Lik, Mini-Chiclets e o pirulito que vinha com hélice,pra girar e voar (pirocóptero)?
  
20 – Teve o Pequeno Pônei, as Chuquinhas, Ursinhos Carinhosos, Peposo ou a Peposa?
  
21- Tinha os estojos com vários botões, com cola,durex,apontador… (o famoso estojo paraguaio).
 
22- Tinha aqueles relógios que vinham com várias pulseiras de cores diferentes para trocar? (Champion)

23- Leu a Série Vaga Lume?

24- Tinha aquela régua que ao bater no braço se enroscava como uma pulseira, a Bate-Enrola?

25- Usava aqueles brincos que vinham na cartela e se colava na orelha?

26- Tinha a mania de dançar Jazz, igual a mulher do Flash dance?

27- Usou polainas e tinha patins de prender nos tênis?
     
28- Colecionava as mini garrafas de refrigerantes??? E a mãe dizia que tinha veneno dentro para que a gente não bebesse…
E os ioios da Coca-Cola?
  
29- Respondia aos Questionários das colegas??? Normalmente, em um caderno, e a última pergunta era…
De quem vc gosta? Ou…Deixa uma mensagem para a dona do caderno…

30- Teve walkman AM/FM amarelo à prova d’água?

31 – Tem algum CD do Biafra? (Essa aí é dose)

32 – Usava biquínis “asa delta”?

“VOCÊ ESTÁ FICANDO VELHO”, HEIN??? MEU AMIGO(A), VOCÊ QUE FEZ
PARTE DA GERAÇÃO ANOS 70, 80 e 90, NÃO DEIXE QUE NOSSAS LEMBRANÇAS
SEJAM ESQUECIDAS!!!”
REPASSE AOS SEUS AMIGOS (QUE ESTÃO FICANDO VELHOS) E DEIXE QUE
ELES TAMBÉM VOLTEM AO PASSADO E SE DIVIRTAM

Aparição de Nossa Senhora

agosto 8, 2011

Hoje, 8 de agosto, às 19h teremos a presença de Pedro Regis, na Igreja de Santa Rita de Cassia. Pedro diz que Nossa Senhora aparece para ele. Venha conferir esta bênção!