Carnaval

           Constantemente se ouve dizer mal do carnaval. Muita gente afirma que o carnaval é coisa do mundo, é lugar de perdição e imoralidades, enfim, como dizem os Macedos da vida: é o lugar do demônio. Discordo deste discurso barato que pretendem dar o nome de teologia quando na verdade não passa de futrica teológica.

            O carnaval é a festa que antecede a quaresma. A quaresma é tempo de jejum e abstinência. Hoje se pode abster-se de muitas coisas: cigarro, bebidas, fofocas, música alta e tantas outras coisas. Antigamente, quando se falava em abstinência vinha à cabeça a abstinência de carne. Hoje já não é mais assim. Muita gente abistem-se de carne por recomendação médica ou porque é vegetariano e, ainda, porque quer emagrecer. Perdeu a graça falar em abstinência só de carne. Voltando aqui ao carnaval, se come carne, bebe umas e outras para na Quaresma moderar as pulsões.

            O carnaval é uma festa de agradecimento e, até mesmo de passagem. Passamos do tempo da festa para o tempo da penitência. Dançar é saudável. Faz bem para o corpo e para a alma. O problema, então, não é o carnaval, mas quem o promove. Meus amigos pentecostais o demônio não está no carnaval, mas em quem o promove. Em resumo, o  demônio do carnaval não está na festa em si, mas pode está em quem vai lá. E quem vai lá, o leva já de casa, porque já vai sujo e com más intenções no coração. Quem bagunça tudo é o homem ímpio que patrocina a bebedeira, a pornografia, o sexo fácil e a erotização das crianças, adolescentes e jovens, mas também porque não dizer, dos adultos e idosos.

            O carnaval tem seu lado bonito. O lado da festa, da dança, da musica, da confraternização e até mesmo da espiritualidade. Quantos retiros, rebanhões e trios elétricos religiosos acontecem nesses dias a partir da motivação do carnaval? Pense nas aulas de história e cultura que os sambas enredos dão nas avenidas, sambódromos das cidades por todo Brasil? Reduzir o carnaval a mulheres peladas, homens semi-nus, bebidas e promiscuidade é no mínimo mente curta e espírito pecaminoso. Meu amigo folião, você pode mudar esta realidade sombria do carnaval se você levar para sambódromos, avenida e clubes o verdadeiro sentido de festar que passa pelo amor ao corpo, à alma e ao espírito.

Bom carnaval!

 Face-book Camilo paiva 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: