Archive for março \31\UTC 2013

Escola Bíblica

março 31, 2013

DOMINGO DA PÁSCOA.        Os sinais da Ressurreição de CRISTO,ontem e hoje. 

                    Nas sagradas Escrituras ,um sinal não é simplesmente um evento milagroso(como o evangelista João chama os milagres operados por JESUS),mas algo que aponta para uma realidade de significado mais amplo.Por analogia,é como um sinal de trânsito,que serve para orientar os viajantes na estrada,de sorte que ninguém erre o caminho ou corra risco de acidentes.Um sinal na estrada faz-nos chegar a nosso destino sem incorrer em nenhum dano.Nos textos bíblicos,os sinais indicam que DEUS está realizando algo que não é percebido por quem não fez a experiência da fé e amor.Os sinais não servem como provas ou argumentos lógicos,científicos para convencer ninguém (estão lembradas(os) quando dissemos que não temos como explicar como foi a ressurreição de Jesus?E que s. Paulo chega no limite quando diz “CORPO ESPIRITUAL”?.Nada mais sabemos.).Somente podemos perceber os sinais(sepulcro vazio)quando fazemos a experiência da fé e do amor.Acrescento,usando o termo dos nossos dias,termo muito caro ao nosso Papa Francisco:HUMILDADE).Em resumo,é isso que indica o acontecimento da Ressurreição de CRISTO como sinal da ação de DEUS,ontem e hoje.Humildade,Fé e amor. 

                             Desejo a todas e a todos uma PÁSCOA SANTA,FELIZ.Que seus efeitos perdurem sempre e nos traga a esperança da nossa ressurreição em CRISTO.

Pe. João Ramalho

Santo Sudário

março 30, 2013

O arcebispo de Turim, Cesare Nosiglia, se ajoelha diante do Santo Sudário, no sábado (30). (AP Photo/Alessandro …O Santo Sudário voltou a ser exposto para uma aparição especial na televisão neste sábado em meio a uma nova pesquisa que contesta alegações de que a peça seria uma falsificação medieval e sustenta que o tecido data aproximadamente da época da morte de Jesus Cristo.

O papa Francisco gravou em vídeo uma mensagem especial para o evento na Catedral de Turim, mas não chegou a dizer que a imagem gravada no pano, de um homem com ferimentos similares aos sofridos por Cristo, seja realmente de Jesus.O pontífice referiu-se ao Santo Sudário como um “ícone”, e não como uma “relíquia”, o que pode ser considerada uma diferenciação importante.

“Esta imagem, impressa no tecido, fala aos nossos corações e nos leva a subir até o Calvário, a olhar para a cruz de madeira e a mergulhar no eloquente silêncio do amor”, disse Francisco.

“Este rosto desfigurado lembra os rostos de todos os homens e mulheres marcados por uma vida que não respeita sua dignidade, pela guerra e pela violência que afligem os mais fracos”, prosseguiu o papa. “Ao mesmo tempo, a face estampada no Sudário transmite grandiosa paz; este corpo torturado transmite uma majestade soberana.”

Mantido em uma caixa climatizada, o Santo Sudário raramente é exposto ao público. Na última vez que isso aconteceu, em 2010, mais de 2 milhões de pessoas visitaram a Catedral de Turim para rezar diante da peça.

As informações são da Associated Press.

Hospital Inspirado na Madre Tereza de Calcutá

março 30, 2013

Isto mostra o quanto a Religião Católica inspira o muno para o bem. Se você observar a fala do médico criador do Hospital ele vai dizer que criou este Hospital inspirado na Madre Tereza de Calcutá. Aqui o que está em jogo não é o dinheiro, mas a cura. Serv de lição para o Brasil.

“As mãos que ajudam são mais sagradas do que os lábios que rezam”. 

Assista este video do Fantástico (Rede Globo) e faça suas análises. Ser primeiro mundo não é ter Hospitais e planos de saúde caríssimos, mas saúde de qualidade por preços assessíveis aos pobres.

http://http://www.youtube.com/watch?v=NCdfguo0FaI

Jesus é a Ressurreição e a vida.

março 30, 2013

Neste Sábado temos encontro marcado ãs 20h na Igreja de Santa Rita para a Bênção do Fogo, celebração da Luz, leituras Bíblicas e Renovação das promessas batismais. Te aguardamos.

Quinta-feira Quinzena de Santa rita às 7h e 19h

Sexta-feira Noite de Louvor às 19h.

Papa Francisco pede a cristãos que combatam o mal com o bem

março 30, 2013

O Papa Francisco presidiu nesta sexta-feira sua primeira Via Crucis em Roma pedindo aos cristãos de todo o mundo que combatam o mal com o bem, como fez Jesus em seu sacrifício na Cruz.

“Queridos irmãos, a palavra da Cruz é também a resposta dos cristãos ao mal que segue atuando em nós e ao nosso redor. Os cristãos devem responder o mal com o bem, tomando sobre si a Cruz, como Jesus”.

“As vezes nos parece que Deus não responde ao mal, que permanece em silêncio, mas na realidade Deus está falando, respondendo, e sua resposta é a Cruz de Cristo: uma palavra que é amor, misericórdia, perdão”.

“Não quero acrescentar muitas palavras. Esta noite deve permanecer apenas uma palavra, que é a própria Cruz. A Cruz de Jesus é a palavra com a qual Deus respondeu ao mal do mundo”, disse o Papa argentino.

“Deus nos julga nos amando. Se aceito seu amor estou salvo, se o rejeito, estou condenado, não por ele, mas por mim, porque Deus não condena, ele apenas ama e salva”.

“Continuemos esta Via Crucis na vida diária. Caminhemos juntos pelo caminho da Cruz, caminhemos levando no coração esta palavra de amor e de perdão”. “Jesus nos ama tanto, é todo amor”.

O Papa, 76 anos, que foi recebido no Coliseu pelo prefeito de Roma, Gianni Alemanno, acompanhou da colina do Palatino a Via Crucis, sem percorrer a pé as 14 estações.

O Santo Padre agradeceu “o testemunho dos nossos irmãos do Líbano” que escreveram meditações e orações sobre temas da atualidade, a pedido de seu antecessor, Bento XVI.

O Papa saudou no Coliseu a amizade com os muçulmanos do Oriente Médio e relembrou a viagem ao Líbano de Bento XVI, quando “vimos a beleza e a força da comunhão dos cristãos daquela terra e da amizade de tantos de nossos irmãos muçulmanos e de muitos outros”.

Bento XVI encomendou as meditações lidas nesta Via Crucis ao patriarca da Igreja maronita libanesa, Bechara Rai, que por sua vez pediu a dois jovens a redação do texto.

Esta foi uma forma de destacar o drama que vive o Oriente Médio, com a guerra na Síria, a difícil coexistência entre muçulmanos e cristãos, e a fuga de muitos cristãos perseguidos da região.

“Que o sangue das vítimas inocentes seja a semente de um Oriente mais fraterno”, que volte a ser a “cunha das civilizações”, pediu uma das meditações.

Outra meditação rejeitou o “fundamentalismo violento e o laicismo cego que sufoca os valores da fé e da moral em nome da suposta defesa do homem”.

Mais cedo, o Papa Francisco celebrou a missa da Sexta-Feira da Paixão na Basílica de São Pedro.

Sob o ouro e o mármore da Basílica, o pregador da Casa Pontifical, o padre capuchinho Raniero Cantalamessa, comparou a Igreja a um “edifício antigo” e pediu que Francisco a “conduza à simplicidade e à linearidade de suas origens”.

Francisco, com fisionomia grave, vestido com a casula vermelha com as cores da Paixão, ouviu atentamente Cantalamessa, que declarou que esta missão havia sido confiada por Deus no século XIII a São Francisco de Assis, que teve seu nome retomado pelo 266º pontífice da Igreja Católica: “Vá e reforme a minha casa”.

“No decorrer dos séculos, para se adaptar às exigências do momento, os velhos edifícios foram enchidos de divisões, de escadas, de salas”. Mas as “adaptações” que se sucederam “não correspondem mais às exigências. É preciso ter a coragem de pôr tudo isso abaixo”, disse.

Ele enumerou os obstáculos ao anúncio do Evangelho: “Os muros divisores (…), o excesso de burocracia, os restos de aparatos, leis e controvérsias passadas, que se tornaram simples detritos”.

O Papa beijou o Cristo crucificado, que foi levado a ele, colocando suavemente a sua mão sobre a face de Jesus.

No sábado, o Papa seguirá com a Vigília Pascal, que celebra à noite a ressurreição de Cristo. Francisco batizará quatro adultos convertidos ao catolicismo: um albanês, um italiano, um russo e um americano de origem vietnamita.

Proximidade com os mais necessitados

Francisco, o primeiro jesuíta que chega ao trono de Pedro, deixou claro em pouco mais de duas semanas de pontificado que deseja uma mudança desta milenar instituição, cuja imagem foi manchada nos últimos anos por lutas internas de poder, abusos sexuais de menores por sacerdotes ou pela atividade econômica nebulosa do banco do Vaticano.

No entanto, os analistas preveem que não será fácil alcançar seus objetivos, devido à resistência dos que preferem manter o status quo.

Talvez, a mensagem mais contundente tenha sido dada pelo Papa na Quinta-Feira Santa. Demonstrando a importância da proximidade com os mais necessitados, Francisco se dirigiu ao centro de detenção de menores de Roma, “Casal del Marmo”, onde celebrou uma missa diante de quase cinquenta jovens – 35 meninos e 11 meninas de 14 a 21 anos – e lavou os pés de 12 deles em uma cerimônia que lembra a última ceia de Jesus com os doze apóstolos.

Ajoelhado no chão frio sobre um simples pano branco, Francisco lavou, secou e beijou os pés de dez meninos e duas meninas de diferentes nacionalidades detidos neste centro, dois deles muçulmanos, retirando esta cerimônia simbólica de seu ambiente habitual, a suntuosa basílica de São João de Latrão, na capital italiana, e de seus protagonistas habituais, os sacerdotes.

“Quem está no ponto mais alto deve servir aos outros”, “ajudar os demais”, disse o Papa, levando para o coração da Igreja de Roma um costume que, como cardeal, Jorge Mario Bergoglio costumava realizar na Argentina, sua terra natal.

Fonte: Yahoo

Dafne Sampaio: o Babacão, o mexidão.

março 29, 2013

Fico dando gargalhadas quando leio artigo de EX-alguma coisa. Sempre surge um EX frustrado para falar besteiras e ridicularizar pessoas em nome de publicidade pessoal. Sim, imagine um jornalista (também sou jornalista formado pela escola européia) como o Dafne Sampaio, querendo dar liçoes de humildade…. Esse cara desconfia da humildade do Papa Francisco. Acha que o Papa é ultrapassado por ser contra o casamento de pessoas do mesmo sexo, contra o abosrto. Somos católico e católicos acreditam que casamento é para homem e mulher. E daí? Temos que pensar como o EX Dafne Sampaio que como ele afirma na sua apresntação “Jornalista de cama, mesa e banho, mas com ênfase na cultura”. Mas, que cultura? De morte. Ele faz parte do Esquadrão assassino de fetos. Para este babacão – Dafne Sampaio – ser contra o aborto é ruim. O tal do abortista Dafne Sampaio  vive na sombra de seu passado ele é o tipo EX que atira para todos os lados. Ele já era, já foi: Foi editor de cinema da Som Livre Loja Virtual, da revista “Monet” (Ed. Globo) e do site da “Istoé”.

É por causa de caras como Dafne Sampaio de visão curta, estreita e simplista que a opinião pública no Brasil continua assim sem uma análise sólida da realidade. O jornalista deve ser um profeta, um sábio, uma pessoa de visão ampla e que traga novidades. Não alguém qu usa a mídia nacional com jargões previsíveis, preconceituosos e ponto de vista anárquico.  Me poupe velho!

Repúdio ao Conselho Nacional de Medicina!

março 26, 2013

ENTREVISTA DA ZENIT COM A MÉDICA MARIA EMILIA DE OLIVEIRA SCHPALLIR SILVA, graduada pela PUC de Campinas, Coloproctologista com título de especialista pela sociedade brasileira de coloproctologia e membro da comissão de bioética da CNBB, concedeu uma entrevista a ZENIT expressando a sua indignação desse posicionamento que tem a clara intenção de “fortalecer os que são favoráveis à reforma do código penal no que diz respeito ao aborto”.

ZENIT: O Conselho Federal de Medicina (CFM) se posicionou a favor do aborto na quinta-feira da semana passada? A intenção é enviar para o Senado esse parecer e dar assim um maior peso para a reforma do código penal que pretende descriminalizar o aborto?

Maria Emília: Não obstante o texto frise “que não se decidiu serem os Conselhos de Medicina favoráveis ao aborto, mas, sim, à autonomia da mulher e do médico” essa afirmação é apenas um jogo de palavras e esconde a verdadeira intenção. São favoráveis à autonomia da mulher e do médico a praticar o aborto, portanto estão, sim, sendo favoráveis ao aborto.

A intenção é clara: o  parecer do CFM vai fortalecer os que são favoráveis à reforma do código penal no que diz respeito ao aborto, principalmente porque vai exercer grande influência sobre a opinião pública.

Infelizmente,  aqueles que juraram defender a vida e a postura ética, são os que usam do poder de seu título para confundir a opinião pública e legitimar o assassinato deliberado,de seres humanos vulneráveis apoiando-se em argumentos pseudoéticos.

Não é a primeira vez na história que  atrocidades são cometidas com o aval da ciência. O nazismo foi legitimado pela eugenia, considerada ciência na época. Depois chegou-se à conclusão de que se tratava de uma pseudociência em nome da qual se praticou toda sorte de arbitrariedades que feriam profundamente a dignidade humana.

ZENIT: Realmente o CFM está representando o parecer de TODOS os 27 conselhos regionais e dos 400 mil médicos do país? Então, os médicos do Brasil são abortistas?

Maria Emília: O CFM representa a classe médica porquanto foi por ela eleita, porém, da mesma forma que governantes eleitos pelo povo possam propor leis que não representem a vontade da maioria, como seria, por exemplo, a lei de descriminalização do aborto, também nem todas as decisões tomadas pelo conselho representam  o que pensa a maioria dos médicos. Esta decisão não partiu de um plebiscito.  Não creio que a maioria dos médicos seja abortista, pois a vocação do médico é  salvar vidas e não tirá-las. O preâmbulo do Código de Ética Médica, no seu artigo II diz explicitamente que “O alvo de toda a atenção do médico  é a saúde do ser humano, em benefício da qual deverá agir com o máximo de zelo e o melhor de sua capacidade profissional.”

ZENIT: Por que aprovar o aborto até a 12a. semana? Quais os argumentos usados pelo CFM?

Maria Emília: O primeiro argumento usado pelo CFM é a autonomia da mulher e do médico. Invoca a bioética principialista para defender éticamente sua decisão, porém de forma totalmente equivocada e anti ética pois não leva em consideração na reflexão bioética a criança em gestação. A bioética principialista é regida pelos princípios da autonomia, não maleficência, beneficência e justiça.

A objeção a essa postura do CFM é de caráter antropológico: o embrião e feto são seres humanos que merecem igual proteção e estão sendo discriminados. O princípio da justiça é singularmente ferido, pois é justo que o vulnerável seja sempre prejudicado por aquele que detém mais poder ou que é mais útil para uma sociedade onde só as leis de mercado importam? Isto configura uma bioética utilitarista e não principialista.

O conselho também alega que há um alto índice de ocupação de leitos públicos por curetagens pós-abortamento sobrecarregando o SUS, porém a descriminalização vai aumentar ainda mais este número uma vez que a prática do aborto vai ser realizada com dinheiro público e pelo SUS ocupando lugar de pessoas verdadeiramente doentes que necessitam do serviço já tão sobrecarregado.

Outra alegação do conselho é que “levou-se em consideração as estatísticas de morbidade e mortalidade da mulher em decorrência de práticas inseguras na interrupção da gestação… ainda maiores devido à dificuldade de acesso à assistência adequada”.

Porém é importante salientar que a mulher que procura o aborto tem a opção de não fazê-lo. É um risco evitável. O feto não tem opção nenhuma. Um crime deve ser cometido em segurança?Estamos comparando dois valores de pesos diferentes: vida versus interesses. No caso da mulher o que conta são interesses, mas o feto perde sempre a vida. Descriminalizar o aborto alegando sua alta incidência deve, por coerência, levar a propor a descriminalização de outros delitos tão ou mais freqüentes.

Alegar que a pobreza justifica o aborto é uma eugenia social para com o pobre. A pobreza tem que ser encarada com seriedade através de políticas públicas efetivas, mas isto, embora seja ético e eficaz, demanda um custo financeiro alto. O aborto é a solução barata: para o pobre a solução proposta é sempre a morte.

ZENIT: E agora? O que é que resta para aqueles médicos do Brasil que não estão nenhum pouco de acordo com esse parecer do CFM?

Maria Emília: O último parágrafo do posicionamento do CFM  mostra toda a incongruência do texto: “Finalmente, na esfera jurídica, entende-se que a proposta de alteração do Código Penal estabelecida no PLS 236/2012 – NÃO IRÁ DESCRIMINALIZAR O ABORTO. A conclusão dos Conselhos de Medicina é de que com a aprovação desse projeto o crime de aborto continuará a existir, apenas serão criadas outras causas excludentes de ilicitude. Ou seja, somente nas situações previstas no projeto em tramitação no Congresso que a interrupção da gestação não configurará crime.”

Note-se a incoerência: o Conselho admite que é crime e se o faz é porque admite que o ser em gestação é uma vida humana que merece ser protegida, caso contrário não haveria crime. Ainda assim, fere o código de ética propondo ao médico que desrespeite essa vida, que admitiu ser humana, e nega estar propondo a descriminalização.

Porém, há no código de ética médica um artigo sobre a objeção de consciência, em que o médico não pode ser obrigado a realizar procedimentos que sejam contrários à sua convicção pessoal.

ZENIT: O juramento de Hipócrates, que o médico faz na sua formatura, ainda é válido, ou isso de defender a vida é algo que vai com a moda do momento?

Maria Emília: Embora o  contexto sócio-cultural seja o da quebra de paradigmas com o conseqüente relativismo ético e moral em uma sociedade utilitarista, individualista e hedonista, acredito que haja valores que sejam supra-culturais e derivem da razão humana que sabe diferenciar beneficência de maleficência e tem consciência do que seja justiça. Embora muitos vejam no juramento de Hipócrates um certo grau de paternalismo, acredito  que ele reflita o verdadeiro ethos daqueles que tem vocação para a medicina.