Archive for the ‘Fe e Politica’ Category

Bento XVI abre Reunião de Cúpula mundial sobre a segurança alimentar

novembro 16, 2009

De hoje até o próximo dia 18, acontece em Roma a Reunião de Cúpula mundial sobre segurança alimentar. O evento é organizado pela FAO, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura.  O papa Bento XVI faz a abertura nesta manhã.

“Os bens da criação são limitados por natureza: são precisas, portanto, atitudes responsáveis e capazes de favorecer a segurança procurada, pensando igualmente na das gerações vindouras. Por conseguinte, é necessária uma profunda solidariedade e uma fraternidade clarividente”, disse a mensagem do papa dirigida ao diretor-geral da FAO, Jacques Diouf, por ocasião do Dia Mundial da Alimentação de 2009. “O drama da fome e só poderá ser vencido eliminando as causas estruturais que a provocam e promovendo o desenvolvimento agrícola dos países mais pobres”, completou o texto.

A Reunião de Cúpula conta ainda com a participação da Cáritas Internacional e da Associação de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento Econômico (CIDSE), que agrupa diversas organizações católicas. As duas instituições, que apostam no potencial dos pequenos agricultores, temem que a comunidade internacional promova técnicas de alta tecnologia, muitas das quais são insustentáveis do ponto de vista social e ambiental.

Para chamar a atenção para o drama da carência alimentar que existe em diversos países do mundo e que atinge hoje quase 1 bilhão de pessoas, segundo estimativas da ONU para o ano de 2008, Jacques Diouf fez uma greve de fome de 24 horas, antes do início do encontro. A abstinência de alimentos e bebidas de Jacques Diouf começou às 20h de sexta-feira, no salão de entrada da sede da FAO, em Roma, onde passou a noite. Com este gesto, o diretor-geral espera que a pressão da opinião pública contribua para assegurar a resolução do problema.

Diouf referiu que “a silenciosa crise da fome coloca em sério risco a paz e segurança mundiais”. Por isso, “precisamos urgentemente chegar a um consenso amplo sobre a rápida e total erradicação da fome no mundo”.

A organização das Nações Unidas estima que, em 2009, mais de um bilhão de pessoas passem fome, um aumento de cem milhões em relação ao ano passado.

Com informações da Rádio Vaticano

Anúncios

Enquete Ensino Religioso no Senado – Ajudem!

setembro 20, 2009

Ajudem!

Caríssimos,

Agora que foi aprovado na Câmara o acordo assinado entre a Santa Sé e o Brasil onde também se retoma a importancia do Ensino Religioso nas escolas, o próximo passo é a votação no Senado. Se ganharmos ali, será mais uma vitória importante da evangelização dos nossos jovens e crianças. Com isso, certamente não serão poucas as tentativas de colocar a opinião pública contra esse acordo.

Em agosto já houve aquela enquete do Correio Braziliense onde os votos eram pelo celular – e nós conseguimos uma virada nos números para 70% a nosso favor; agora, no site da Agência Senado, há uma enquete questionando a opinião do internauta sobre o Ensino Religioso facultativo nas escolas. Depois de ter estado quase meio a meio, o resultado até agora está em lenta reação favorável. mas se nós nos unirmos novamente podemos fazer a diferença ficar bem mais significativa. Vamos participar mais uma vez, votando e divulgando para os nossos contatos que também acreditam na importancia da formação religiosa da nossa juventude?

Mas ATENÇÃO: o que está sendo perguntado NÃO É se o Ensino Religioso deve ser facultativo ou obrigatório, e sim se deve haver o Ensino Religioso facultativo ou NÃO HAVER ENSINO RELIGIOSO NENHUM. Portanto, se queremos que o ER continue sendo oferecido nas escolas pelo menos como facultativo ao aluno, devemos votar SIM.

O endereço da enquete (fica no canto direito, mais embaixo):

http://www.senado.gov.br/agencia

Um abraço!

Pe. Demétrio Gomes da Silva

Estado é laico, mas sociedade é marcadamente religiosa, lembra arcebispo

setembro 10, 2009

Recebi este artigo por e-mail, do meu amigo e mestre Padre Manuel Borges, onde Dom Walmor Oliveira de Azevedo destaca autenticidade do cristianismo. Quero compartilhar, com você, essa reflexão, que julgo fundamental para os brasileiros que crêem. Tentam por em nossas cabeças a idéia de que a fé e’ separada da vida, invés, não. Como disse um teólogo famoso “ a Igreja e’ a alma da sociedade”. O homem, antes de ser político, ele e’ religioso. Mas acompanhemos a reflexão de Dom Walmor:

“O arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, considera que a laicidade do Estado “não pode permitir que um tratamento discriminatório ou indiferente venha por parte dele, em se considerando especialmente seu dever de cuidar das necessidades básicas de sua sociedade”.”Seria uma temeridade banir religiões e igrejas dos cenários de uma sociedade”, afirma, em artigo enviado a Zenit na sexta-feira.

O arcebispo assinala que é necessário que a sociedade discuta “questões que dizem respeito à importância e necessidade incontestável da religiosidade na vida de seu povo”.

“Não é, portanto, só o PIB, o pré-sal, a destinação dos seus sonhados resultados financeiros, a sucessão presidencial ou o superávit primário que têm importância e garantem uma sociedade modernizada e desenvolvida.”

Dom Walmor enfatiza que “o que a sua população e instituições podem e sabem discutir e refletir tem força determinante sobre seu destino e desdobramentos na sua história”.

“Não se pode brincar com vivência religiosa, mesmo descontando o natural e insubstituível respeito às liberdades individuais. E menos ainda entender e fazer do afazer religioso um negócio ou exploração mercadológica.”

“Nesta importante discussão de interesse para a sociedade é preciso focar as raízes, motivações e história das práticas religiosas. Não basta simplesmente fazer uma lei geral, considerada por muitos como um risco de liberação geral, para acalmar e acomodar fúrias religiosas ou garantir conivências políticas.”

O arcebispo afirma que “não se pode correr o risco de garantir direitos de inventar uma religião e suas práticas a qualquer um. Do contrário, valerá o que cada um simplesmente disser, como se diz, tirando de ‘detrás da orelha’, e proclamando como verdade e como dogma o que anuncia”.
Então ele explica que “o cristianismo na sua autenticidade, enraizado na tradição judaica, se afirma pelo primado da palavra – que não é anunciado por qualquer pessoa. É o primado da Palavra de Deus. A Palavra de Deus que é Jesus Cristo, o Verbo que se fez carne e habitou entre nós”.

“Este primado da Palavra exige dos discípulos de Jesus Cristo uma escuta cotidiana desta Palavra. Sem manipulações arriscadas que a enjaula numa panacéia milagreira, reduzindo a exigência de uma experiência de fé, obediência e confiança para transformar a vida, em expectativas de receber simplesmente o que se precisa, como se Deus fosse prateleira de supermercado na qual se apanha, gratuitamente, o que se quer.”

Dom Walmor afirma que o primado da Palavra de Deus “tem no episódio contado por São João no capítulo seis do seu Evangelho, depois da multiplicação dos pães, a direção certa, quando muitos entenderam como duro demais o que Jesus estava dizendo, e o abandonaram”.

“Perguntados os discípulos se queriam ir embora também, Pedro respondeu: ‘A quem iremos nós, Senhor, só tu tens palavras de vida eterna’. O primado da Palavra de Deus é fonte inesgotável de qualificação de toda palavra que se pronuncia, de todo juízo e de toda edificação. Palavra é vida e compromisso. O primado da Palavra de Deus é exigência de escuta permanente para qualificar o que se diz, e com o que se diz edificar.”

Fonte do artigo: ZENIT.org.
Fonte do video: Arquidiocese de Belo Horizinte