Archive for the ‘Padre Zezinho’ Category

Reflexao do Dia: O que sei sobre o Criador

janeiro 28, 2010

O que sei sobre o Criador
Pe. Zezinho, scj

Ninguém o revelou melhor do que Jesus. Ensinou-se a imaginar um pai exigente, mas infinitamente bom e perdoador. Disse que veio Dele. Encheu nosso coração e acendeu nossa imaginação de vontade de saber mais sobre Ele. Mais importante: disse que o deveríamos chamar de Pai porque o Criador, antes de tudo, é Pai.
Imagine, pois, um arquiteto chamado Deus, que fez um gigantesco monumento chamado Universo, misterioso e cheio de detalhes indecifráveis. O monumento apenas lembra que Ele, o autor, existe, mas não deixa nenhum desenho ou sinal de como ele era. Estudando-o, saberemos que alguém muito competente criou aquele monumento, mas não sabemos como ele era.
Nem poderemos dizer que esta sua obra se parece ou é igual a Ele porque nunca ninguém vivo o viu. Mal conhecemos um canto do Universo, como queremos comparar o Universo desconhecido ainda, ao Deus ainda mais desconhecido? Quem falou dele não deixou descrição clara o suficiente para que possamos dizer: Deus é assim.
Só podemos dizer que fez algo maravilhoso e misterioso. O Criador não se parece com a sua criatura, o Universo. Mas o Universo, pelo seu mistério, tem algo de semelhante ao seu criador. Até hoje ninguém conseguiu destrinchar os detalhes desta obra e por tempo inimaginável não vai conseguir. É demais para nossos recursos. Quando tivermos descoberto o que acharmos quase tudo, ainda ficará faltando quase tudo.
Isto eu posso saber sobre Deus; você também: Deus é muito mais! Junte toda a sabedoria que há e ainda não saberemos dizer quem é Deus. É mais fácil dizer que existe, mas defini-lo é impossível, faltam pensamentos e palavras para tanto!

Pensaste em mim
Letra e Música de Pe. Zezinho – scj
DO AMOR SERENO DE UM CASAL FOI QUE EU NASCI
MAS ERAS TU QUE ME QUERIAS POR AQUI
ESTAVAS LÁ NO AMOR BONITO DE MEUS PAIS
MAS DESDE ENTÃO ME RESERVAVAS MUITO MAIS
PENSASTE EM MIM QUANDO NEM MESMO EU EXISTIA
SOU RESULTADO DO TEU INFINITO AMOR
EU TE AGRADEÇO A CADA NOVO E SANTO DIA
POR TEU AMOR ESSENCIALMENTE CRIADOR
A MINHA PRECE AGRADECIDA EU VIM FAZER
PORQUE ME DESTE A ENORME CHANCE DE NASCER
ESTAVAS LÁ QUANDO EU CRESCI PRA SER ALGUÉM
ESTÁS COMIGO A ME MOSTRAR O QUE CONVÉM
PENSASTE EM MIM A CADA PASSO DA JORNADA
SOU RESULTADO DESSE AMOR QUE NÃO TEM FIM
MINHA ALMA SEGUE PASSO A PASSO NESSA ESTRADA
ANTES QUE EU PENSE SEI QUE JÁ PENSASTE EM MIM

Fonte:  Site Paulinas

Anúncios

O imenso filho de Deus

dezembro 23, 2009

O imenso filho de Deus
Pe. Zezinho, scj

Paulo fala da imensidão de Cristo. Não há como medir a sua dimensão, por isso nos convida a mergulhar na sua altura, comprimento, largura e profundidade… Cristo é imenso. Não há como medi-Lo com os padrões deste mundo. O evangelista João afirma que se alguém quisesse escrever tudo o que Ele disse e fez não haveria papel suficiente nem lugar para guardar todos os possíveis livros a seu respeito. E ainda assim não teríamos chegado ao cerne do mistério que foi o Filho de Deus entre nós. A linguagem da Igreja é uma só, mas cada cristão terá seu modo de falar da experiência que teve ao aceitar Jesus como o Cristo.
Creio em Jesus Cristo e penso que o amo. Afirmo que ele é o Filho de Deus eternamente gerado pelo Pai. Não nasceu do Pai porque sempre existiu com Ele. Nascer é começar. Ele não teve começo. No seio da Trindade de pessoas divinas que é o Ser Deus, Ele é a pessoa Filho. Um dia, e só Deus sabe porque e como isso é possível, veio ser pessoa humana.
No período que entre nós viveu, chamou-se Jesus de Nazaré, mas era o Cristo, o ungido que Deus prometera. Admito que na minha Igreja e nas outras há pessoas que amam a Jesus mais do que eu e falam dele com muito mais clareza e profundidade. Falam de Jesus e com Jesus muito melhor do que eu. Tenho aprendido com eles.
Não sou o melhor e nem o mais sábio, nem o mais santo dentre os seus seguidores. Milhões que jamais leram um livro de teologia e não conseguiriam falar dele acreditam e amam Jesus o suficiente para dar a vida por Ele. Não é questão de teologia. É de sintonia que mais cedo ou mais tarde encontra a teologia. O melhor tratado de Cristologia é aquele que nos ensina a tratar o Cristo como Filho de Deus. Pode-se ler um tratado e não tratá-lo como tal. Pode-se tratá-lo como Filho de Deus e nem sequer saber dessas coisas.
Não me impressiono com quem fala bonito sobre Ele, porque pode-se falar bonito sobre Cristo e não segui-lo nem amá-lo. Tenho sido o primeiro a dizer aos que elogiam minha pregação: não confundam palavras bonitas com vida bonita.
Mas conheço gente que fala bonito sobre Jesus e vive o que fala. Conheço quem não sabe muito sobre Ele e até confunde as coisas, mas o ama de verdade. Fazem como o irmão mais novo, que não sabe muita coisa sobre seu irmão mais velho, mas gosta demais de estar com ele e confia no que seu irmão ensina.
Ouvirei todos os que falam de Jesus. Inclusive, quem não sabe muito sobre Ele e se atrapalha no primeiro minuto do seu discurso. Dou-lhe o direito de saber pouca teologia, já que faz o que a teologia manda: ama a Deus e ama as pessoas. Sabe o suficiente para salvar-se.
Só não ouvirei os donos da verdade. Em geral sentem-se donos até do Cristo, mas não são donos nem de si mesmos. Se em nome de Jesus eles puderem destruir alguém, é isso o que farão. Abrem a porta para o Cristo, mas costumam cobrar o seu pedágio.
Creio em Jesus, acho que sei ler a Bíblia. Penso que sei compreender o que os escritores sagrados queriam mostrar. Talvez nem tudo sobre Cristo seja exatamente como alguns daqueles cristãos de primeira hora antigos escreveram. Mas também não será como os padres, pastores e videntes de agora o dizem. Fico com os evangelhos. São suficientes para eu conhecer e amar a pessoa que eles anunciam. No céu, eu saberei a verdade total. Por enquanto, já tenho o suficiente para continuar a buscá-lo.
Sei que Ele voltou para o Pai e um dia retornará a este mundo, mas será diferente do que a primeira vez. Não sofrerá mais, nem será crucificado. Virá com poder e glória para julgar o mundo. Da primeira vez, Ele mesmo disse que veio oferecer salvação. Não veio condenar e sim salvar. Quando voltar será glorioso com todo o seu poder e aí, sim, julgará a humanidade! Não vai ser um dia fácil. Cada um vai ter sua vida mostrada e esmiuçada. Então se saberá porque alguns foram e outros não foram dignos do céu.
O que nossa fraqueza não consegue, a misericórdia dele consegue. É por isso que nós católicos oramos em todas as missas pedindo piedade e perdão. Outros cristãos também o fazem. Nós cremos no imenso poder redentor do imenso Filho de Deus. Há perdão para todos, desde que nos arrependamos de verdade.
Se isso é crer em Cristo, então eu acho que tenho fé. Ainda é pequena, mas é fé. Preocupam-me as pessoas de fé grande, mas fanática, porque pode-se crer muito, mas de maneira errada. Para matar a sede, entre o copo de água e o litro de pinga, eu fico com o copo de água. É menor, mas não embriaga!

http://www.padrezezinhoscj.com
Comentários para: online@paulinas.com.br